Variedades

Fundação do Rotary Club São Paulo Casa Verde

Fundação do Rotary Club São Paulo Casa Verde

Rotarianos empossados e membros de outros Clubes que vieram prestigiar a fundação do Rotary Club São Paulo Casa Verde

Em grande festiva realizada na noite de sexta-feira (25/03) no Salão Algazarra do Clube Espéria, foi fundado o Rotary Club São Paulo Casa Verde. Nessa mesma ocasião, tomaram posse a nova diretoria e seus trinta novos rotarianos.

Breve histórico do Rotary
Embora os primeiros passos para a introdução de Rotary no Brasil tivessem sido dados em 1916, somente em 1922 (dezembro) é que se conseguiu a adesão de dezesseis profissionais, de classificações diferentes, dispostos a integrar o Rotary Club do Rio de Janeiro, que conseguiu a aprovação de Rotary International. Em 1920 houve a primeira tentativa que o Rotary International recusou em virtude de o quadro social estar integrado exclusivamente por cidadãos americanos aqui residentes. A ética da historiografia exige que os fatos relatados e as afirmações do narrador estejam amparados em provas documentais, mas, da minha parte, não consigo sopitar a formação analítica do meu espírito, pela necessidade que sinto de penetrar nas causas favorecedoras, modificadoras ou impeditivas dos acontecimentos.
O Club cresceu rapidamente, pois em 1924 já se compunha de 45 sócios. O Brasil foi, assim, o quarto país da América do Sul e o sexto da Ibero-América a sediar Rotary. Antes de nós estavam pela ordem: Cuba, México, Uruguai, Argentina e Peru.
Em 29 de fevereiro de 1924 instalou-se o Rotary Club de São Paulo, segundo do Brasil, que só um ano depois, a 24 de março de 1925, conseguiu filiação em Rotary International. Dos seus estatutos constavam reuniões quinzenais e o Rotary International exigia que fossem semanais. Embora modificando os estatutos, os Rotary Clubs brasileiros só passaram a realizar reuniões semanais em 1929.
Depois vieram o Rotary Clube de Santos, o de Belo Horizonte, o de Juiz de Fora, Niterói, Petrópolis, Campos, Porto Alegre, Ribeirão Preto e Nova Friburgo. E os Clubes do Rotary continuam ampliando sua atuação no Brasil.

A Festiva
Com a presença de todos os novos membros e seus familiares, de seus padrinhos e de companheiros de outras unidades rotarianas, a Festiva do Clube Chupetinha (apelido carinhoso dado pelo padrinho José Carlos, Presidente do Rotary Nordeste Vila Maria ao Rotary Clube São Paulo Casa Verde) contou com a, também presença, do Rotary São Paulo Vila Antonieta, do Rotary São Paulo Nordeste Vila Maria, do Rotary São Paulo Norte, amigos e admiradores. Após a cerimonia de posse, um show com o cantor Allan Vilches saudou os empossados. Em seguida, o Presidente Álvaro Gomes Jr., convidou a todos os presentes para um jantar fraterno-comemorativo.
A diretoria do Jornal SP Norte deseja ao Presidente, a toda a Diretoria e a todos os membros do Rotary Club São Paulo Casa Verde, boa sorte e sucesso constante!

Presidente empossado - Álvaro Gomes Jr

Jornal SP Norte: Por que Rotary Casa Verde?
Álvaro: Porque o Rotary evolui sempre e na Casa Verde, nossa Região, não temos nenhum Clube de Rotary. Então resolvi fazer esse trabalho porque o Subprefeito da Região trouxe uma estrutura de filantropia para o Club. E como nós já temos uma muito grande em funcionamento no Distrito, eu resolvi, primeiro, fazer um Clube de Rotary no qual poderíamos formar um trabalho social muito importante. Até porque, eu sou empresário dentro dessa Região há 40 anos. Claro que já faço esse trabalho na Casa Verde. Sou muito grato à Casa Verde, gosto muito dessa Região. então, lutei muito para fundar esse Club aqui para poder, de uma forma muito pequena, devolver esse carinho que a Casa Verde me deu.
Jornal SPNorte: O que o Rotary Casa Verde pretende implementar na Região?
Álvaro: Hoje, a entidade que presido já serve 150 refeições/dia. São 300 crianças que recebem orientação e temos 12 na Universidade. Tudo feito por essa ONG. Então, a idéia de criar esse Clube é a de fazer com que essa ONG ampare esses companheiros, para dar espaço para que eles trabalhem junto com a gente.
Jornal SPNorte: E essas crianças são todas da Região?
Álvaro: Na realidade, a Região e a situação brasileira melhoraram muito. Hoje, os nossos grandes assistidos são as pessoas menos favorecidas; porque fazemos esse trabalho bem no fundo do poço. Tiramos todos, damos orientação, organização familiar, ajudamos essas famílias da melhor maneira, e preparamos essa gente para o mercado de trabalho com cursos, psicólogos, professores. É um processo bem transparente e, às vezes, eu tenho até receio de dizer que faço esse trabalho, porque dá a impressão de que é uma propaganda, que eu quero ficar em evidência... e isso é desagradável. Mesmo porque já faço isso há 20 anos.
Jornal SPNorte: Na Casa Verde qual é o projeto de futuro para estes atendimentos?
Álvaro: Nós já temos um centro de atendimento muito grande na Vila Maria, e estamos tentando levar esse projeto para a Casa Verde, onde nós já ganhamos um área. O Prefeito Kassab nos forneceu uma área muito grande, mas é muito lá para a frente. E eu disse a ele que precisamos de uma que fique na Região que queremos atender.

Secretário empossado - Reinaldo Pessôa

Jornal SPNorte: O senhor foi convidado para ser secretário ou faz parte da equipe que montou o Rotary Club São Paulo Casa Verde?
Reinaldo: Fazemos parte da equipe que montou o Rotary Casa Verde. Aliás, já era um anseio nosso. Já faz tempo que a gente vem costurando essa idéia de poder, efetivamente, montar um Clube de Rotary. Mesmo porque nós viemos de outro Clube de Rotary. Então, esse espírito de "dar de si antes de pensar em si", é uma coisa que nós daremos continuidade. Então fazemos parte da equipe.
Jornal SPNorte: Como secretário, o que o senhor implementará de novo? E de diferente dos outros clubes de Rotary?
Reinaldo: Ah! A gente quer implementar reuniões mais dinâmicas, diminuindo um pouco a parte do cerimonial, como não se estender muito quando alguém fizer uso da palavra, deixando as reuniões cansativas. Então, tanto a ideia do Presidente Álvaro quanto a minha, é a de nós podermos simplificar mais esse processo, para que possamos fazer mais companheirismo.
Jornal SPNorte: Essa dinâmica abrirá oportunidades para novos trabalhos. Seria isso?
Reinaldo: Exatamente. Abrir novos trabalhos e sermos mais eficazes e objetivos na administração do clube - com eficiência. Como? Passando mais a palavra para os companheiros, envolvê-los mais nos processos de trabalho, principalmente por serem novos, jovens, profissionais de várias áreas. Então temos que fazer esse trabalho de desenvolvimento com eles.
Jornal SPNorte: A integração entre os companheiros?
Reinaldo: Isso. A integração e, com ela, podermos fazer com que eles saibam como você pode fazer bem à comunidade, de que forma. Temos que chamá-los para a tribuna, convocá-los para que eles assumam mais as pastas, que são diversificadas, na administração de um Rotary.
Jornal SPNorte: Com isso o senhor pretende unir a experiência da diretoria com a vontade de fazer da juventude?
Reinaldo: É. Exatamente. Você pegou bem o gancho. Tanto eu quanto o Álvaro, o Reinaldo Perez, o Marcelo Kabal, o Cel. Batista Verardi, e os outros companheiros. Eu diria assim: um pouco mais tarimbados em Rotary, pegarmos o workshop que nós tivemos em outros Rotarys, trazer para o nosso Clube, e procurar dar maior dinâmica para integrar mais os companheiros, para que eles se sintam úteis. Não venham simplesmente nas reuniões do Clube para se juntar e ver um processo ritualístico. Isso não é producente.

Tesoureiro empossado - Márcio R. Colacioppo

Jornal SPNorte: Fale um pouco sobre a criação do Rotary Clube São Paulo Casa Verde.
Márcio: Essa nova associação que veio aqui fortalecer o bairro da Casa Verde, será muito importante porque ajudaremos as instituições de caridade do Bairro, por ser a Casa Verde muito carente. A comunidade precisava ter um Clube de Rotary. Veja: temos o Rotary Jd. São Paulo, o Jd. são Bento, o Vl. Maria, mas não tínhamos o da Casa Verde. Então, a ideia foi do Álvaro, que é o presidente da Droga Verde, que chamou os empresários mais influentes do bairro. Todos foram escolhidos a dedo para ser um clube bem forte e bem unido. E como nós já nos conhecemos, já nos amamos (somos em 30 companheiros), fomos nos reunindo, tivemos um clube que nos apadrinhou - o Rotary Club Nordeste - e, hoje, é a nossa festiva de fundação. De início distribuiremos 200 cestas básicas, mais apoio assistencial que damos ao CAAP, que é uma casa que educa 150 adolescentes, preparando-os para o trabalho, e que oferece ensino profissionalizante. A cada seis meses tem formatura no CAAP. Nós unimo-nos, para não ficar pesado para ninguém, para podermos tocar todos esse projetos.
Jornal SPNorte: Como o senhor atuará nesse novo Rotary?
Márcio: Eu sou, como diria, relações públicas, marketing. Também sou responsável por escolher os novos associados que chamaremos, que entregaremos o convite. Tenho que ver tudo isso. O que fazemos é convidar uma pessoa; aí converso com ela para que o clube tenha mais companheiros, e todos dispostos a colaborar em união e paz.

Lista dos empossados
Rotary Club São Paulo Casa Verde


- Álvaro Gomes Junior
- Alexandre Marin
- André de Assis Pinto
- André Zampieri
- Batista Verardi Neto
- Carlos Alberto Domingues
- David Eduardo de Camargo
Fernandes
- Eduardo Gonçalves
- Fábio Kiyoshi Murakami
- Fábio Peres
- Fernando Pirocchi
- Helder Lopes Chagas
- Jefferson Candeo
- João Antônio Gonçalves
Rosa
- Luiz Antônio Vieira
- Luiz Cancelieri
- Marcelo Terra
- Marcelo Donizete Souza
- Marcelo Henrique Cabbao
- Márcio Rafael Colacioppo
- Reinaldo Luis Pessoa
Soares
- Reynaldo Peres
- Roberto Rafael Colacioppo
- Ronildo Miranda Oliveira


Fonte: Jornal SP Norte
sp.norte@terra.com.br