Variedades

Córrego Tremembé receberá obras de canalização e construção de reservatórios

Córrego Tremembé receberá obras de canalização e construção de reservatórios

Medidas necessárias para acabar com as enchentes na Região ainda estão sendo discutidas em Audiência Pública. A previsão é que as obras iniciem em 2015

Evento realizou-se na manhã da quarta-feira (12/02), em parceria da Secretaria da Infraestrutura Urbana (SIURB) com a Subprefeitura Jaçanã/Tremembé, no auditório da Secretaria de Cultura, localizado no Centro da Cidade. A Audiência Pública atende o cumprimento da Lei no 8666/93, Artigo 39, e se destina esclarecer dúvidas a respeito do conjunto das intervenções do Córrego do Tremembé, cuja obra está prevista para iniciar no primeiro semestre de 2015. A mesa foi composta pelo Subprefeito Edison de Oliveira Vianna Júnior; o Secretário-adjunto da SIURB, Mário Sandoval Schimdt; e o Superintendente de Projetos da SIURB, Engenheiro Pedro Algodoal.

A Bacia do Córrego Tremembé está localizada na Zona Norte e possui uma área de drenagem de aproximadamente 35 quilômetros quadrados. As nascentes dos córregos Cantareira e do Horto contribuem para formação do Córrego Tremembé, que, por sua vez, é afluente do Córrego Cabuçu de Cima.
A intervenção consiste na construção de seis reservatórios de detenção, canalização do Córrego, implantação de medidas mitigadoras para os impactos ambientais e implementação de trabalho social. São eles:
 R-1 Lago do Horto: com 15 mil metros cúbicos de retenção;
 R-2 Córrego Cantareira, próximo à Rua São Cleto: 20 mil metros cúbicos de retenção;
 R-3 Córrego Tremembé, próximo à Rua Com. Quirino Teixeira: 18 mil metros cúbicos de retenção;
 R-4 Córrego IPESP, Av. Cel. Sezefredo Fagundes: 15 mil metros cúbicos de retenção;
 R-5 Córrego Tremembé, Rua Athos Ribeiro: 12 mil metros de retenção;
 R-6 Córrego Piqueri, próximo à Rua Usikichi Kamia: 51 mil metros cúbicos de retenção.
O conjunto perfaz o total de 131 mil metros cúbicos de reservação. A construção de cada reservatório trará benefício imediato para a população daquelas imediações. Os objetivos do Projeto são:
 Aumento da capacidade de retenção e amortecimento;
 Recuperação de áreas de amortecimento de cheias;
 Expansão e preservação de áreas verdes;
 Implantação de reservatório de amortecimento;
 Desapropriações de áreas sujeitas a inundações;
 Recuperação de áreas de várzeas com potencial de amortecimento de cheias, ao longo das calhas dos rios;
 Minimizar as desapropriações com maior benefício.
Verifica-se a necessidade de melhoria das calhas nos mesmos trechos (Rua Pedro à Av. Nova Cantareira e Rua Bernardo Antonio da Silva e Rua Imbiras).
Com as obras de reservação, reforço das travessias e melhoria das condições de escoamento da calha pretende-se minimizar o problema das enchentes, alcançando o patamar desejado a longo prazo. Na proposta adotada, as intervenções consistem em pequenas obras de reservação, melhoria das condições de escoamento na calha e reforços de travessias.

Questões legais
O Licenciamento Ambiental foi protocolado em 26 de novembro de 2013, na Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), cujo requerimento de consulta prévia para o início do processo recebeu o no TID 11503964. Os valores da intervenção são estimados em R$ 220 milhões, dos quais R$ 190 milhões são referentes à obra, e as desapropriações somam R$ 30 milhões. Seguindo o cronograma, deverão ser cumpridas as exigências e normas legais, desde a liberação dos recursos pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) até a Imissão na Posse.


Fonte: Jornal SP Norte
sp.norte@terra.com.br