31 de maio é celebrado o Dia Mundial sem Tabaco

0
305

O vírus do coronavírus (Covid-19) atinge, especialmente, o aparelho respiratório das pessoas infectadas, em razão disso, quem possui algum problema respiratório ou tem hábito de fumar têm mais risco de morte do que outros que não fumam.

A fim de conscientizar a população dos malefícios do cigarro, em 1987 a Organização Mundial dia Saúde (OMS) criou o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado no dia 31 de maio. A data ganha mais importância durante a pandemia da Covid-19.

De acordo com o pneumologista da Doctoralia , Dr. Fabio Marcelo Costa, há um risco maior de complicações em pessoas contaminadas que são expostas ao fumo.

“Além de prejudicar os mecanismos imunológicos do organismo, o cigarro compromete a capacidade pulmonar do indivíduo devido à inflamação e obstrução das vias aéreas, o que agrava as condições respiratórias do paciente”, esclarece.

Além da preocupação com a Covid-19, diversos estudos mostram que fumantes são mais propensos a desenvolver doenças respiratórias e cardiovasculares.

O artigo Analysis of factors associated with disease outcomes in hospitalized patients with 2019 novel coronavirus disease, publicado no Chinese Medical Journal, em 5 de maio de 2020, o risco de um paciente com Covid-19 evoluir para um quadro de pneumonia grave é maior. “Uma possível explicação para isso é que tabagistas, usuários de cigarros eletrônicos e suas variações, podem desenvolver ou acentuar doenças pulmonares crônicas, o que aumenta o impacto de um possível contato do vírus com o organismo”, explica o Dr. Fabio.

Ainda segundo o especialista, é importante ressaltar que o ato de fumar, por si só, já é uma postura arriscada. “Além de prejudicar o bom funcionamento dos pulmões, quando uma pessoa fuma, ela coloca a mão constantemente em contato com o rosto e com os lábios, o que aumenta as chances de contaminação pelo novo coronavírus”, ressalta.