95,6% da população brasileira sentiu o aumento dos preços dos alimentos e bebidas durante a Pandemia

0

Segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte, 95,6% da população brasileira foi impactada pela disparada dos preços dos alimentos e bebidas durante a Pandemia. Produtos essenciais da cesta básica, como arroz, feijão e leite, tiveram um aumento de 23%, 34% e 27%, respectivamente.

A alta das contas mensais, como água, luz, gás, internet e TV, também foi sentida por 40,6% dos brasileiros. Vale lembrar que devido a Pandemia, a prática do home office foi adotada por cerca de 46% das empresas, aumentando o consumo destas contas.

Ainda de acordo com o levantamento, os preços “estão aumentando muito” para 90,9% da população e pouco para 7,2%. Outros 1,4% dos entrevistados avaliam que os valores “não estão aumentando” e 0,4% dizem que “estão diminuindo”.

Para a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), “o crescimento das exportações de produtos, alta do dólar e a maior demanda interna, em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), estão causando alta generalizada no preço dos alimentos básicos de consumo dos brasileiros. Além disso, o Brasil começou a exportar mais. De janeiro a julho de 2019, o país exportou 582 mil toneladas, quase o dobro no mesmo período de tempo deste ano. Isso, certamente, fez com que os produtos ficassem mais caros para o consumidor final aqui no mercado interno”.