Marcelo Segredo | Devo parcelar a fatura do cartão de crédito? NÃO!

0
336

Esse grande vilão das finanças pessoais continua levando muitos ao desespero. E não é para menos! Os juros cobrados pelos cartões de crédito passam de abusivos 447% ao ano de juros remuneratórios e absurdos 648,37% ao ano no parcelamento da fatura, enquanto a taxa Selic é de 3,75% ao ano.

De fato, existe a parcela de culpa de quem usa o cartão sem a devida cautela, fazendo compras em excesso, sem dúvida; no entanto, na outra ponta temos um sistema financeiro altamente especulatório no país preparado para extorquir a população, praticando uma verdadeira agiotagem avalizada pelo Banco Central.

Antigamente as pessoas conseguiam pagar o mínimo do cartão por vários meses. Aí os bancos conseguiram aprovar uma grande artimanha junto ao Banco Central. Apresentaram o argumento de que só poderiam reduzir os juros do cartão de crédito se fosse extinto o pagamento do mínimo por vários meses. A proposta deles incluía:

  1. o cliente pagar o mínimo uma única vez;
  2. na fatura seguinte seria incluído o parcelamento (empréstimo) total da dívida com “juros reduzidos”, ajudando assim o consumidor.

De fato, nos primeiros meses eles fizeram isso. Cartões que cobravam 16% ao mês de juros no pagamento do mínimo passaram a enviar propostas de parcelamento com juros de 8%, ou seja, 50% a menos de juros. A questão é que são 12 meses pagando 8% ao mês de juros. Quer dizer, a grosso modo, em 12 meses são 96% a mais de juros na sua dívida, fora os juros de mora e a multa por atraso. Portanto, essa mudança veio para ajudar a quem?

E por que você jamais, eu disse jamais!, deve parcelar a fatura do seu cartão? Simples: porque a cada parcelamento, mais juros abusivos serão agregados a sua dívida, aumentando a bola de neve.

Veja exemplo do cartão Carrefour

Neste caso real, o consumidor apresenta um histórico de parcelamentos de fatura havia vários meses e continuou usando o cartão de crédito devido a uma situação de desemprego de duas pessoas na família.

Identifique o saldo devedor, que aqui é de R$ 7.837,68, e o cartão carrefour oferece o “PARCELE FÁCIL”, levando a dívida para R$ 23.173,30 (entrada de R$ 1.150,00 + 23 x R$ 917,62), aumentando a dívida em três vezes.

Como pode isso? Veja no canto inferior da fatura os juros remuneratórios cobrados: 447,06% (círculo vermelho) ao ano. Já os juros remuneratórios de parcelamento da fatura totalizam 648,37% (círculo azul) ao ano, ao qual estão incluídos os juros moratórios de 1% ao mês e a multa de 2%.

No canto inferior esquerdo da fatura a empresa alega estar cobrando, no parcelamento, juros reduzidos de 365,97% (círculo verde) ao ano, atendendo assim ao combinado junto ao Banco Central, a cobrança de juros menores no parcelamento. No entanto, na prática está cobrando o dobro. A questão que não quer calar é: quem para, observa isso e faz esses cálculos?

Profissionais como eu, é claro. Afinal, na Marcelo Segredo Assessoria, contamos com uma equipe de peritos contábeis especializados em contratos bancários. Dizendo de outra forma, somos especializados em descobrir as falcatruas de bancos e financeiras, assim como essa.

APLICAÇÃO DA TAXA MÉDIA DE JUROS

Você concorda comigo que 648% de juros em um ano é muito, certo? Pois bem, é por casos como esse que as pessoas estão pedindo a ação revisional de juros, substituindo pela taxa média de mercado, embora ainda elevadíssima; porém, a dívida fica já drasticamente reduzida. Veja a projeção feita por nossa equipe de peritos contábeis:

Valor Total da Fatura

R$ 7.837,68

Parcelamento

12 meses

Juros Mensais

10,5%

Prestação

R$ 1.178,60

Total da Dívida

R$ 14.143,26 – Parcele Fácil

Carrefour R$ 23.173,30

= Economia de R$ 9.030,04

 E como resolver essa situação?

Como você pode ver, os bancos cometem muitos erros. A questão é apurar esses erros e saber como reduzir a dívida. Seguir as regras do jogo impostas por eles é a pior saída.

Orientamos nossos clientes a que simplesmente não paguem o mínimo, tampouco aceitem qualquer parcelamento de fatura. O valor que seria pago no parcelamento de fatura deverá ser reservado e investidomensalmente.

A Marcelo Segredo Assessoria vai te ensinar como fazer isso. Lá na frente você vai quitar essa dívida à vista, pagando o valor justo por ela, tirando todos esses juros abusivos. Além de quitar a dívida, você ainda vai continuar com uma boa verba investida.

Porque você não encontra esse tipo de informação em outro lugar?

Porque realmente somos um escritório especializado em contratos bancários e redução de juros abusivos. Sabemos como resolver de verdade o seu problema e 90% dos casos são resolvidos sem a menor necessidade de ação revisional de juros. Contra banco tem que ser tiro certeiro.

Se você precisa de ajuda, entre em contato com a nossa equipe.


 
marcelo-segredo

Consultor financeiro, palestrante, ex-presidente da ONG ABC (Associação Brasileira do Consumidor), criador da “Clínica Financeira” e “Casamento & Negócios”, diretor presidente da Marcelo Segredo Assessoria Empresarial Fone: 3360-2902 site: www.marcelosegredo.com.br e-mail: marcelo@marcelosegredo.com