Alfabantu: aplicativo ensina língua africana para crianças

0
1311

Há mais de uma década, como prevê a Lei 10.639/03, alterada pela Lei 11.645/08, é obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio no Brasil.

No entanto, a disponibilidade de material didático sobre o assunto e a aplicação da lei ainda são deficitárias. Pensando em aproximar as crianças dessas histórias que os livros de história não contam o quanto antes, além das instituições de ensino, a socióloga e educadora Odara Dèlé criou um aplicativo de celular: o Alfabantu, destinado ao ensino da língua falada pelo povo Kimbundu, de Angola.

Odara, moradora do bairro do Tremembé, leciona em uma escola da rede estadual, também na zona norte. “Percebi que os professores tinham dificuldade em trabalhar a história da África com as crianças, mesmo porque há falta de material didático e específico”, conta a socióloga.

No âmbito da formação cultural brasileira, os povos Iorubás e Bantu são os que mais deixaram marcas na sociedade. A construção do português brasileiro, por exemplo, teve várias influências de línguas indígenas e principalmente de línguas africanas, especificamente do bantu e do kimbundu.

Segundo Odara, a ideia do Alfabantu é proporcionar um aprendizado lúdico e interativo, algo que atraia o público infantil. O aplicativo é dividido em duas partes. A primeira é composta por um glossário formado por diversas palavras, o alfabeto kimbundu, números, saudações, partes do corpo, nomes de animais. Já na segunda parte, a criança testa seu conhecimento através de um quiz, pensado como estratégia de memorização das palavras.

Uma das grandes vantagens é a autorização, em 2017, pelo governo estadual, do uso de aparelhos celulares para fins pedagógicos em salas de aula. Com isso, professores e estudantes podem fazer uso do Alfabantu e de outros sistemas tecnológicos como ferramentas de aprendizado.

Para o futuro, o Alfabantu pretende lançar em 2019 um livro infanto-juvenil bilíngue com português e kimbundu para, de alguma forma, possibilitar os estudos de línguas africanas e consequentemente abastecer os professores e educadores que não têm materiais pedagógicos adequados para trabalhar nas salas de aula.

Comemorações marcam 1º ano do Alfabantu

Completando um ano neste mês, o Alfabantu vai promover encontros formativos, como palestras e oficinas. “Espero que posamos, além de oferecer uma ferramenta de entretenimento e educação, contribuir para o processo de representação afirmativa das crianças negras e mostrando um dos vários aspectos do legado africano no Brasil”, conclui Odara.

Acompanhe as atividades e novidades do Alfabantu na página oficial no Facebook e confira os eventos comemorativos:

Canto meus passos!
Oficina de Canto Tradicional – Vocal Grupo Kuiamba
Local: Aparelha Luzia (Rua Apa, 78 – Santa Cecília)
Data: Sábado (8/12), às 16h

Literatura: a infância do saber
Palestrantes: Luciane Bento e Isidro Sanene
Local: Centro Cultural Olido (Av. São João, 473 – República)
Data: Terça-feira (11/12), às 19h

fotos: Divulgação/Alfabantu