São Paulo

Após anos com contratos emergências, Prefeitura assina licitação de ônibus

Depois de seis anos de espera, finalmente a Prefeitura assinou contratos com as empresas para operação  do novo sistema de transporte coletivo por ônibus. O prazo da concessão ficou estabelecido em 15 anos, conforme exigido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP).

Desde 2013 que o sistema de transporte coletivo por ônibus funcionava por meio de contratos emergências. O principal impasse para isso era o processo de concessão.

A assinatura dos 32 contratos ocorreu no mesmo dia que encerrou a greve dos motorista e cobradores de ônibus (06/09), que reivindicava o repasse das empresas aos funcionários da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e o fim da redução da frota.

Com a assinatura a Prefeitura promoverá mudanças significativas no sistema de transporte público, algo que já vinha acontecendo mesmo com os contratos emergenciais. Entre as propostas estão a de eliminar linhas sobrepostas e reduzir intervalos entre os veículos.

Uma das propostas do contrato de licitação do transporte era a de reduzir a atual frota de ônibus. No entanto, em acordo com o Sindicato dos Motoristas, a Prefeitura prometeu suspender a medida.

Melhorias

Em nota, a Prefeitura declarou que o edital prevê uma série de melhorias obrigatórias no sistema, como a chegada de ônibus mais modernos com ar-condicionado, Wi-Fi, entrada USB e também motores menos poluentes.

Maior alcance

Com a nova rede, os ônibus vão alcançar mais ruas e a cobertura das vias atendidas aumentará dos atuais 4.680 quilômetros para 5.100 quilômetros. Além disso, a área atendida por ônibus será maior (9%), o que beneficiará milhares de usuários que passarão a caminhar menos para chegar a seus pontos de parada. As mudanças terão início um ano após a assinatura dos contratos e serão realizadas de forma gradativa, levando até três anos para sua conclusão.

Ônibus maiores

Segundo a Prefeitura, o edital contará com mais veículos maiores, o que pode resultar num crescimento de 10% na oferta total. Será possível atender um número maior de passageiros com intervalos menores do que os praticados atualmente.

Licitação dos Transportes

O novo contrato de licitação dos transportes prevê a criação do subsistema de articulação regional. O Subsistema é formado por ônibus que realizam as ligações dos bairros mais afastados com o centro da Capital Paulista ou com outras regiões. Eles são conhecidos por possuir, além do transporte, um variado comércio, como exemplo a zona norte têm os terminais Santana e Vila Nova Cachoeirinha.



Topo