Assistência Social já promoveu mais de 6.600 encaminhamentos durante às madrugadas frias

0

Uma nova onda de frio voltou a atingir a cidade de São Paulo e nesse período a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMADS) intensifica suas ações de abordagem e encaminhamento de pessoas em situação de rua para os serviços da rede socioassistencial.

O trabalho nas noites e madrugadas já resultou, desde 30 de abril, data de início da Operação Baixas Temperaturas, em mais de 6.600 encaminhamentos para Centros de Acolhida.

As ações são executadas pela Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS) e os munícipes também podem ajudar as pessoas em situação de rua solicitando os serviços, que funcionam 24 horas por dia, via central telefônica 156 (ligação gratuita, opções 0 + 3), e pelo aplicativo 156.

A solicitação pode ser anônima e é importante informar o endereço da via em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado), citar pontos de referência, além de características físicas e detalhes de como a pessoa a ser abordada está vestida.

Em paralelo ao atendimento das solicitações feitas via 156, o serviço também faz rondas em territórios previamente mapeados e que apresentam grandes concentrações de pessoas em situação de rua. São mais de 100 profissionais, que contam com o apoio de 14 veículos para executarem os encaminhamentos para os serviços da rede.

“Embora a gente trabalhe com a questão do 156, quando vamos pra um atendimento também fazemos uma busca ativa para verificar se não tem mais alguém nas proximidades”, explica a coordenadora do serviço, Maria Isabel Capinan.

Durante as abordagens, as baixas temperaturas são utilizadas como um dos argumentos de convencimento, mas a aceitação do encaminhamento é facultativa. “Nós explicamos que essa pessoa pode ser encaminhada para um serviço onde ela poderá tomar banho, ter acesso a refeição e dormir. Às vezes a pessoa não aceita. Neste caso, ela deve assinar uma ficha de recusa e o orientador socioeducativo faz a entrega de um cobertor para que essa pessoa se proteja”, disse a coordenadora.

O trabalho de abordagem e encaminhamento não para durante o dia. Para isso, a SMADS também conta com os Serviços Especializados de Abordagem Social (SEAS). “A CPAS recebe as solicitações de abordagens via Central 156, filtra e encaminha para os serviços de cada território fazer”, explica Capinan.

Rede de acolhimento

Atualmente, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) dispõe de 100 Centros de Acolhida para população em situação de rua, que juntos disponibilizam mais de 23 mil vagas.

Durante período de pandemia, a SMADS ampliou a oferta de serviços nos quais as pessoas em situação de rua têm acesso a refeições, banheiros, kits de higiene e orientações.

Em abril de 2020, começou a funcionar, na região do Cambuci, um Núcleo de Convivência Emergencial, com capacidade de oferecer café da manhã, almoço e café da tarde para 250 pessoas. A rede municipal conta com 11 Núcleos de Convivência, com 4.002 vagas. Para os Núcleos de Convivência da Sé, Prates, Porto Seguro, Luz e Bela Vista foram aditados em caráter emergencial mais 1.760 vagas.

Desde o início da Operação Baixas Temperaturas, a SMADS e a SPTrans também disponibilizaram ônibus em pontos específicos do centro para transportar as pessoas até os Centros de Acolhida. Em alguns dos locais, os ônibus realizarão até duas viagens.

Veja os pontos de partida: 

Partida Horário Destino 
Praça da Sé16h e 19h

Clube Pelezão

Pateo do Collegio16h30 e 18hClube Tietê
Praça Princesa Isabel18hClube Tietê
Metrô Portuguesa-Tietê (inicia 1/5)18hClube Tietê