Vida e Bem Estar

Atitudes que ajudam a evitar perda de memória

A falhas na memória podem surgir antes do que muita gente imagina. Pesquisas apontam que 40% dos brasileiros acima de 50 anos sofrem com algum mal relacionado a memória. Como dá para perceber, o “esquecimento” é uma doença bem comum.

E engana-se quem pensa que a perda da memória está ligada só ao envelhecimento. A mesma pesquisa aponta que apenas 30% dos casos de esquecimento está relacionado a terceira idade, ou seja, os diagnósticos mais comuns às falhas na memória são o estresse e o excesso de atividades.

Alguns outros aspectos podem antecipar o esquecimento, são eles depressão, alterações do sono, uso de remédios, hipotireoidismo, infecções ou doenças neurológicas, como doença de Alzheimer.

É importante saber que é possível evitar a maioria dessas causas. Hábitos saudáveis é a chave para manter a saúde mental. Confira as dicas que o Jornal SP Norte separou para você começar a adotar a partir de hoje:

Boa noite – É durante o sono que a memória e a aprendizagem se consolidam. Na fase denominada REM, o cérebro reúne as informações e lembranças adquiridas no dia e as repete para si mesmo;

Sem cigarro – Fumar deteriora as paredes das artérias, o que contribui para o depósito de gordura e dificulta a circulação sanguínea e o funcionamento do cérebro;

Mantenha o equilíbrio emocional – O estado de estresse crônico libera hormônios como adrenalina e cortisol, que prejudicam a fixação da memória;

Tomar café moderadamente – A cafeína ativa a liberação de energia da célula. Com isso, os impulsos cerebrais têm um desempenho melhor, o que contribui para a melhor fixação da memória;

Vida saudável – O exercício físico, além de melhorar fatores de risco como hipertensão e colesterol alto, melhora o fluxo sanguíneo do cérebro, evitando o declínio cognitivo;

Controle a boca – Se alimentar de um docinho pode ser bom, desde que seja moderado, pois a glicose é o combustível para o cérebro. Sem ela, as conexões cerebrais ficam comprometidas, podendo ocorrer falhas no armazenamento e no resgate de informações. O ideal é consumir mais frutas;

Menos álcool – Em quantidades altas é tóxico para o cérebro. Ele contribui para a queima de neurônios e prejudica o sono, essencial para uma boa memória;

Leia um livro – Atividades que obrigam o cérebro a guardar memória são boas, como, neste caso, ler um livro;

Jogos mentais – Assim como os músculos, o cérebro precisa de atividade para sair de sua zona de conforto. Algumas brincadeiras podem ativar essa ação, entre elas estão: use o relógio de pulso na mão contrária do habitual; Escove os dentes ou escreva com a mão contrária; Ande pela casa de trás para frente; Se vista de olhos fechados; Veja fotos de cabeça para baixo e tente observar cada detalhes; Veja as horas num espelho; Decore uma palavra nova de outro idioma por dia; E durante a comida, tente identificar os ingredientes que compõem o prato e concentre-se nos sabores mais sutis.



Topo