Zona Norte

Av. Engenheiro Caetano Álvares

Construída em 1970, a Av. Engenheiro Caetano Álvares abrange os bairros de Casa Verde, Imirim e Mandaqui e é uma importante via de ligação da Cidade de São Paulo. Desde 2009, quando foi completamente revitalizada, tornou-se mais um espaço de lazer para os moradores da Região.

Com 2,2 quilômetros de extensão, a pista de caminhada no Canteiro Central possui áreas com equipamentos de ginástica e diversos postes de iluminação, o que encorajou muitas pessoas a fazerem caminhas durante a noite.

A implementação de todos esses benefícios trouxe mais segurança à Região. Com isso, novos estabelecimentos chegaram, os antigos investiram em reformas e, juntos, oferecem um leque de opções de compras e serviços.

Nela, é possível encontrar supermercados, padarias, escolas, agências bancárias lojas de decoração e presentes, buffets, e tudo que os moradores precisam para facilitar o seu dia a dia.

Tradicional, por concentrar lojas de veículos e acessórios automotivos, a Avenida atualmente também é famosa por ser um dos points gastronômicos da Capital. Os estabelecimentos investem em decoração caprichada e para o happy hour, oferecem petiscos diversos, pizzas, esfihas, porções variadas, chope, açaí na tigela e sucos naturais. Tudo regado com música ao vivo nos estilos pop rock, jazz e pagode.

Quem foi Caetano Álvares?

O engenheiro João Caetano Álvares Jr. nasceu em 18 de dezembro de 1894. Formou-se pela Escola Politécnica em 1917. Foi responsável por obras de grande vulto em concreto armado, especialmente pontes, obras hidráulicas, viadutos da Via Anchieta, pontes sobre o Rio Tietê e Paranapanema e usinas hidrelétricas (Iapuçu e Salto Grande). Como Secretário de Obras da Prefeitura de São Paulo no governo Jânio Quadros, realizou o chamado “Plano de Emergência”, que visava melhorar especialmente as ruas da Periferia e dos meios de acesso aos bairros com obras de pavimentação.

Também foi Conselheiro do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico de abril de 1961 a julho de 1962. Foi Presidente do Sindicato das grandes estruturas e Presidente do Conselho do Departamento de Águas e Esgotos. Na iniciativa privada, organizou em 1945 a Pedreira Cantareira, da qual foi superintendente até falecer, em 1967.



Topo