Zona Norte

Barulho e poeira poluem Parque Edu Chaves há 6 anos

Moradores do Parque Edu Chaves convivem com a poluição de poeira e sonora há cerca de 6 anos. O problema é causado por uma empresa de peneiração de resíduos de construção civil. Segundo a população, a exposição constante da sujeira resultou em problemas de saúde em crianças e idosos do bairro.

A empresa fica localizada na Rodovia Fernão Dias, dentro da cidade de Guarulhos. Mesmo com a distância, a poeira e o barulho atravessam o Rio Cabuçu e se espalham pelas casas e ruas do bairro da zona norte.

Por conta da exposição à poeira, alguns moradores desenvolveram problemas respiratórios. Valdemir França, morador de Edu Chaves, comentou que grande parte das crianças do bairro estão fazendo inalação para reduzir os impactos da poluição.

Laudo médico constatando a alta taxa de poeira no pulmão da criança

Um exame revelou que uma criança de sete anos, moradora do bairro, está com o grau “Muito Elevado” de poeira no pulmão. O laudo médico identifica que o pequeno está no grau 5 numa escala que vai até 6.

Alguns moradores da região atribuem a alta poluição à morte da idosa Maria Jose Costa Gaudêncio. Moradora do bairro, os relatos apontam que ela foi internada com falta de ar. No entanto, após dois dias no Hospital, a idosa faleceu devido a “insuficiência cardíaca aguda”, conforme atestado de óbito.

A disputa contra a empresa começou em 2013, quando representantes do bairro abriram um inquérito no Ministério Público (MP) de Guarulhos. O processo levou a suspensão das atividades da empresa, no entanto, após recorrer à Justiça, ela voltou a funcionar.

Inquérito no MP Guarulhos que constatou pertubação sonora proveniente da empresa

Poeira no ar

“Mesmo colocando o carro na garagem, no dia seguinte já tem a ‘cortininha’ de poeira” reclama Valdemir sobre a sujeira causada pela empresa. Ele explica que a poluição da poeira é mais sentida, principalmente, na parte da noite e da madrugada.

Valdemir ainda destaca que nos últimos meses a situação estava insuportável, principalmente por conta do tempo seco, o que resultou num acumulo ainda maior de poeira no bairro.

Outro estudo, realizado em 2016 pela Universidade de São Paulo (USP), mostrou que a região tem grande concentração de poluentes no ar, no entanto, a pesquisa destacou que a proximidade com a rodovia Fernão Dias é um dos fatores para o acumulo de poluição.

Mesmo dentro de garagem, veículos acumulam poeira proveniente do trabalho da empresa

Poluição sonora

Outra reclamação dos moradores é o alto barulho que a empresa produz enquanto está funcionando. Graças a um estudo, realizado em parceria com o CADES Jaçanã e lideranças ambientais, como o José Ramos Carvalho, membro da Associação  dos Gestores Ambientais, ficou provado que as máquinas da empresa produz ruídos acima do permitido.

O resultado desse estudo foi publicado em Diário Oficial de São Paulo, que em seguida foi anexado ao inquérito do MP de Guarulhos.

Graças a esse trabalho, a Justiça cobrou uma fiscalização do município de Guarulhos, que aconteceu em fevereiro deste ano. No relatório da Prefeitura ficou comprovado que os ruídos estavam acima do permitido, o que não impediu que a empresa continuasse com seu trabalho.

Relatório de fiscalização da Prefeitura de Guarulhos

Solução?

Segundo Ramos, uma solução para problema da poluição sonora e de poeira é criar uma área verde mais densa no fundo da empresa. Através da mata maior será possível abafar a poluição e evitar que atinja o bairro da zona norte.

Outro lado

A empresa apresentou um relatório com o trabalho de mitigação (intervenção a fim de reduzir o impacto ambiental), no qual mostrou seis mudanças dentro da unidade, são elas:

  • Instalação de 5 pontos extra de umectação;
  • Sistema de aspersão adicional sobre muro no final do terreno;
  • Caçamba pipa para umectação do pátio;
  • Reuniões com equipe para conscientização pelo controle do pó;
  • Fechamento da peneira rotativa (foco de geração de ruído);
  • Fechamento da bica de rachão reciclado (foco de geração de ruído).

Processo de mitigação realizado pela empresa para diminuir a poeira

Vale destacar que a empresa possui todas as licenças para seu funcionamento. A CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) esteve no local no dia 10 de outubro de 2019 e apresentou um laudo confirmando que a empresa adotou as medidas reduzem a poluição do entorno.

Lauda de vistoria da CETESB confirmado que a empresa promoveu mudanças para diminuir a vazão da poeira

Diálogo

Enquanto estávamos finalizando a reportagem, soubemos que conflito caminhava para um desfecho. Ramos e o presidente da empresa prometeram retomar o diálogo para solucionar o problema. Ainda não foi confirmada a data da reunião.

O que dizem as prefeituras?

A gestão municipal de São Paulo não respondeu nosso e-mail, mas por telefone informou que não tinha conhecimento sobre o caso e, devido a empresa estar localizada em Guarulhos, solicitou para que nós enviássemos a demanda para o outro município.

Em nota, a assessoria de imprensa de Guarulhos se limitou a informar que o processo está em processo de análise pelos técnicos da Secretária do Meio Ambiente.

Fotos e imagens cedidas pela empresa e por Valdemir França



Topo