São Paulo

Bruno Covas assume prefeitura e troca secretários

Diferentemente de Doria, que se apresentava como um gestor, Bruno Covas assume a Prefeitura de São Paulo, dizendo que é um político, mas ressalvou que sua administração irá se afastar de disputas eleitorais.

Prometendo dar continuidade ao plano de governo de João Dória, que deixou o cargo na sexta-feira (6/4) para disputar as eleições de outubro, Covas se comprometeu a cumprir tudo o que foi pactuado no Plano de Metas de 2017 a 2020. Colocar a cidade no topo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB); abrir 85 mil novas vagas em creches; e avançar na estruturação das Redes de Atenção à Saúde, por meio da contratação de novas equipes, adequando as redes de urgência e emergência e a hospitalar são algumas das principais metas propostas pela pasta.

O novo prefeito também disse estar consciente dos grandes desafios que o aguarda, como a questão do transporte público e a reforma da previdência municipal, que inclusive será uma das prioridades de sua gestão.

O primeiro pronunciamento de Covas foi realizado na segunda-feira (9/4) – primeiro dia útil, após assumir o cargo de prefeito. Ele aproveitou a ocasião para anunciar os nomes dos novos secretários que farão parte de sua equipe de governo. A maioria vem da própria gestão Dória, havendo apenas a troca de secretarias.

Para a Secretaria de Mobilidade e Transportes, o Prefeito indicou João Octaviano Machado Neto, que era Presidente da CET – onde assume Milton Persoli, Ex-Secretário-Adjunto das Prefeituras Regionais.

Marcos Penido, Ex-Secretário de Serviços e Obras, assume a Secretaria das Prefeituras Regionais, no lugar de Cláudio Carvalho. Em seu lugar, Covas nomeou Vitor Aly, que era Presidente da SPObras. Na presidência da empresa entra Maurício Brun Bucker.

A Secretaria da Justiça passa a ser ocupada pelo advogado Rubens Rizek Jr., atual Secretário em exercício da Agricultura e Abastecimento do Estado, no lugar de Anderson Pomini.

Como Chefe de Gabinete, o Prefeito nomeou o Ex-Secretário de Mobilidade e Transportes, Sergio Avelleda. E, por fim, a vaga de Bruno Covas na Secretaria da Casa Civil será ocupada pelo Vereador Eduardo Tuma, do PSDB. Com a ida de Tuma para o Executivo, a vaga dele na Câmara será ocupada pelo suplente Quito Formiga.

O mandato de Bruno Covas terá 33 meses, mais que o dobro dos 15 meses em que Doria esteve à frente da Prefeitura.

Aos 38 anos, é o Prefeito mais novo que São Paulo já teve, desde a redemocratização. Graduado em Direito e Economia, e neto do Ex-Governador Mário Covas, Bruno já foi secretário estadual, deputado estadual e deputado federal.

fotos: Leon Rodrigues/SECOM



Topo