Zona Norte

Câmara debate orçamento para 2018

Uns falam que deixaram a Prefeitura com as contas zeradas. Outros dizem que a administração municipal está com rombos. No meio disso tudo, estamos eu, você e até eles, os políticos. E são eles quem ditam as regras do que é gasto e investido em nossa São Paulo.

Para que a população não fique perdida em meio aos cifrões e bilhões, a Prefeitura, há alguns anos, tem se esforçado em divulgar o que é feito com o dinheiro. Nesse sentido, as discussões para o Orçamento 2018 já começaram e, apesar de parecer um tema distante, fazem parte do nosso cotidiano. Afinal, é a grana que será aplicada no próximo ano em serviços básicos, como saúde e educação. Aliás, o orçamento foi tema do último editorial do SP Norte, quando falamos sobre o dinheiro destinado à cultura.

Os debates públicos estão em andamento desde 18 de outubro, quando foi realizada a primeira audiência geral. Além dos encontros que debatem todo o orçamento, a Prefeitura também está realizando audiências temáticas – como a de cultura, falado acima, no último dia 31 – e regionais.

Em relação à Zona Norte, o encontro será realizado neste sábado (11/11), a partir das 10h. A audiência vai acontecer na Prefeitura Regional Freguesia/Brasilândia (Rua João Marcelino Branco, 95).

Para situar o cidadão sobre o que será gasto no próximo ano, a Câmara Municipal disponibiliza o site www.camara.sp.gov.br/orcamento2018, com todas as informações dos bilhões de reais programados para o próximo ano, que já bate à nossa porta. A receita prevista é de aproximadamente R$ 56,2 bilhões.

O site permite visualizar gráficos com a distribuição do dinheiro, bem como sua origem. A educação, por exemplo, vai receber a maior fatia do bolo: 11,6 bilhões. Já a Saúde ficará com R$ 8,1 bilhões, e os transportes, com R$ 2,8 bilhões aproximadamente.

Em relação ao orçamento das prefeituras regionais, o total destinado é de R$ 1 bilhão. Enquanto a Sé, na Região Central, ficará com 6,18% do total, as outras regionais ficarão com 3% cada uma, em média.

Pela Zona Norte, Freguesia/Brasilândia terá 3,07% do total. Logo depois, Santana/Tucuruvi, com 2,96%. Na sequência, aparecem Pirituba (2,93%), Jaçanã/Tremembé (2,55%), Vila Maria/Vila Guilherme (2,54%), Perus (2,23%) e, na “lanterna”, Casa Verde/Cachoeirinha (2,17%).

Até o momento, já foram realizadas audiências temáticas relacionadas à saúde, transportes, cultura, privatizações, educação e esportes, obras e direitos humanos. Os próximos encontros específicos vão contemplar habitação e meio ambiente, e novas rodadas de conversas sobre cultura, obras e prefeituras regionais. A última audiência, geral, está marcada para 22 de novembro.

O site da Câmara disponibiliza, na íntegra, vídeos e áudios dos encontros, bem como toda a documentação que envolve o orçamento do próximo ano, além do Plano Plurianual que envolve o planejamento, programas e metas da gestão nos próximos quatro anos.

Portanto, fiscalize – mas é preciso paciência, já que são muitos documentos! –, participe e faça suas reivindicações. Afinal, é a nossa grana que está em jogo!

fotos: Luiz França/CMSP



Topo