Capital oferece rede de diagnóstico de hepatites nas Unidades Básicas de Saúde e nos Centros de Testagem e Aconselhamento

0

A hepatite é uma inflamação que atinge as células do fígado, geralmente causada por vírus, ou pelo consumo excessivo de álcool e uso contínuo de medicamentos. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) da cidade de São Paulo oferece ações de vigilância, prevenção, diagnóstico e tratamento para esse tipo de doença.

As hepatites B e C são silenciosas, ou seja, na maioria dos casos, as pessoas não apresentam sintomas e, por isso, merecem uma atenção maior quando o assunto é prevenção. Muitas vezes, acabam sendo descobertas quando a doença já evoluiu para a fase crônica, podendo levar a outras complicações como câncer de fígado e cirrose hepática.

Diagnóstico e tratamento
A hepatite tem cura na maior parte dos casos. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são fundamentais. Para diagnosticar as hepatites B e C, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) oferecem o Teste Rápido, gratuito e disponível para população a partir dos 2 anos de idade. A ferramenta Busca Saúde ajuda a encontrar a unidade mais próxima.

O tratamento também é feito nas UBSs em caso de diagnóstico positivo. 90% dos portadores de hepatite B se curam de forma espontânea e as pessoas infectadas pela hepatite C são tratadas com antivirais de ação direta (DAA), que apresentam taxas de cura de 95%.

Prevenção

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) reforça a importância da vacinação contra a hepatite B, que está disponível nas 468 UBSs da cidade de São Paulo. No total, são três doses da vacina, sendo que a primeira deve ser aplicada em todos os recém-nascidos, preferencialmente nas primeiras 24h de vida. O risco de evolução da hepatite B em crianças menores de um ano não vacinadas pode chegar a 90%.

Ainda não existe uma vacina para a hepatite C, mas a infecção pode ser evitada ao não compartilhar materiais descartáveis (agulhas e seringas), usar preservativo em todas as relações sexuais, não ter contato com sangue contaminado, diminuir o consumo de álcool e evitar o uso de medicamentos que causam danos ao fígado a curto prazo.

Transmissão

A transmissão das hepatites B e C se dá pelo contato com sangue contaminado, que pode ocorrer das seguintes formas:

• Compartilhamento de objetos como seringas, lâminas de depilar e barbear, alicates de unha, instrumentos para uso de drogas injetáveis ou inaláveis;
• Transfusão de sangue ou hemoderivados;
• durante o parto da mãe portadora do vírus tipo B ou C para o filho;
• Uso de materiais não esterilizados para aplicação de piercing e tatuagens;
• Contato sexual;
• Procedimentos cirúrgicos nos quais não se aplicam as normas adequadas de biossegurança.