Música

Casas de Cultura da Zona Norte recebem shows de Maria Alcina

Uma cantora de voz potente. Um personagem que toma conta do palco no alto de seus 68 anos, olhos enormes e uma linguagem única. Maria Alcina, que lançou em julho o álbum Espírito de Tudo, leva os shows do disco em que reinterpreta canções de Caetano Veloso às Casas de Cultura Vila Guilherme (em dezembro) e Salvador Ligabue – começando nesta última e, depois, em vários outros espaços da capital, gratuitamente.

A ideia de Espírito de Tudo surgiu depois de uma apresentação ao lado de Zezé Mota e Cida Moreira, no espetáculo Corações Vagabundos, também formado por canções de Caetano. O público aplaudiu de pé a interpretação de “Tropicália”, e os pedidos para um CD exclusivo com canções do baiano foi uma consequência. Aliás, a primeira música que Maria Alcina gravou em sua história musical foi composta por Caê: “Mamãe Coragem”.

Dona do clássico “Fio Maravilha”, Maria Alcina “destrincha” as canções de Caetano, para que não ficassem iguais ao inspirador. Como afirmou Julio Maria, em O Estado de S.Paulo, sobre o disco: “a zona cinzenta de Caetano justifica agora a existência da personagem Maria Alcina. Orientada por Thiago Marques, ela busca não o mais digestivo, o mais festeiro ou o mais nostálgico da personalidade de Caetano, mas o contestador, o insatisfeito e, por vezes, o menos palatável. Ela parece mais interessada no bárbaro tropicalista”.

Sábado (14/10), às 18h, na Casa de Cultura Salvador Ligabue (Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 215 – Freguesia do Ó – Fone: 3931-8266

Sábado (16/12), às 18h, na Casa de Cultura Vila Guilherme – Casarão (Praça Oscar Silva, 111 – Vila Guilherme – Fone: 2909-0065



Topo