CCJ promove festival de teatro com artistas da Zona Norte

0
474

Se você sempre quis assistir alguma peça de teatro, mas nunca teve tempo, então confira essa oportunidade! O Centro Cultural da Juventude (CCJ) inicia neste fim de semana o Festival de Teatro Periférico. As apresentações serão em formato de lives e ocorrerão todos os domingos, de 9 de agosto a 6 de setembro, às 17h.

Os espetáculos serão realizados por artistas e companhias da zona norte. A transmissão das apresentações ocorrerão na página do Facebook do CCJ. O primeiro grupo a se apresentar será o Grupo Canteiro (Jaçanã), com a peça “Em tempos Sombrios também se Cantará”.

O objetivo do equipamento cultural é valorizar a linguagem cultural na região por meio dos artistas locais.

Confira a programação:

Grupo Canteiro (Jaçanã) – “Em tempos Sombrios também se Cantará”

  • Quando: Dia 09/8, domingo, às 17h
  • Sinopse: Utilizando um canteiro de obras como metáfora para a vida do trabalhador da periferia, corpos-tijolos questionam seus papéis na estrutura social da qual fazem parte. Por meio de narrativas fragmentadas, e da reflexão expressa nos cantos entoados pelo grupo, são denunciadas opressões e debatidas as formas de resistência e luta.

Coletivo Zéfiro Norte (Cachoeirinha) – “Maquina Teresa”

  • Quando: Dia 16/8, domingo, às 17h
  • Sinopse: Teresa é uma jovem adolescente que vive numa espécie de cidade-ilha, banhada pelo mar. A mãe de Teresa é submetida à violência do padrasto todos os dias. Indignada com esta situação, Teresa sai numa viagem-expedição em busca do pai biológico, que nunca conheceu, pensando que ele será a solução para todos os problemas. Durante a viagem, Teresa e seus companheiros vivem diferentes situações e encontros que farão com que o caminho se torne cheio de transformações. A Máquina Teresa será, portanto, uma maneira de ver e mudar o mundo, a partir do conhecimento de como ele funciona.

Cia Samá (Brasilândia) “A gente chegou até aqui fazendo graça”

  • Quando: Dia 23/8, domingo, às 17h
  • Sinopse: A História do sonho de ser artista nas periferias contada a partir das memórias e vivencias da Cia Samá que desde 2011 luta para fazer teatro em condições desfavoráveis. A história do grupo é parecida com a própria história do teatro e também com a vivencia das periferias.

Bando Jaçanã (Jaçanã) – “O Grito da Jaçanã”

  • Quando: Dia 30/8, domingo, às 17h
  • Sinopse: Durante o processo de criação do espetáculo “Oniri Ubuntu-Tempo de Sonho” criamos diversos textos que falam sobre como é ser negro, mulher, LGBTQIA+ na periferia. Com eles criamos o livro “ O Grito da Jaçanã ” para compartilhar não só o processo de criação da peça, mas também a nossa realidade e luta diária. E agora vamos performar esses textos, mostrando com o nosso corpo e olhar o nosso grito de indignação.

Grupo Pandora de Teatro (Perus) – “Onde os Neandertais vão para morrer”

  • Quando: Dia 6/9, domingo, às 17h
  • Sinopse: Seis participantes de um reality show em uma caverna seguem com suas estratégias para vencer, sem saber que uma pandemia devastou seu país.

Foto: Divulgação