Zona Norte

Comerciante na Vila Maria é apreendido com 300kg de salsicha vencida

A operação Carne Fraca desencadeou uma série de problemas para a exportação brasileira. Desconfiança de países, apreensão na população, casos de corrupção e, para variar, uma situação político-institucional ainda mais complicada.

A situação fez com que os casos suspeitos ganhassem maior repercussão – ou maior atenção depois da avalanche de problemas. No dia 14 de março, um açougue do Tucuruvi foi denunciado pela Secretaria Estadual de Educação por vender salsichas com o logotipo do Governo do Estado.

Na ocasião, a dona do açougue afirmou que “conseguia comprar o produto mais barato se viesse nesta embalagem”, informa reportagem do Estadão, depois de o Diário de São Paulo ter flagrado a venda. A Secretaria afirmou que nenhuma escola foi atingida pelo dano, e vai apurar como o estabelecimento conseguiu a mercadoria, da marca Sadia.

Agora, um novo caso, no domingo (26/3): desta vez um comerciante na Vila Maria foi pego com 300 kg de salsicha vencida, e na mesma embalagem com o logotipo estadual. O produto, da marca Seara – uma das envolvidas na operação Carne Fraca – venceu em janeiro. O detido assumiu que revenderia os produtos.

A ocorrência foi registrada na Avenida Educador Paulo Freire como receptação e crime contra as relações de consumo no 73º Distrito Policial, no Jaçanã. A Secretaria Estadual de Educação investiga os dois casos na Zona Norte.

Atualização em 28/3, às 11:38: A Seara enviou uma nota ao SP Norte sobre o caso. Segue abaixo:

“A Seara mantém os mais rígidos processos e padrões de qualidade em toda cadeia produtiva e de distribuição. Tão logo a empresa tomou conhecimento da questão, iniciou um processo de investigação, visto que o fato apontado está em total desacordo com os processos e diretrizes da companhia. A Seara se mantém à disposição das autoridades e tem o máximo interesse no esclarecimento do assunto.”

Atualização em 28/3, às 12:12: Os jornais da Rede Globo deram novas informações.

Reportagens da emissora falam em 330 kg de mercadoria, vencida desde janeiro, e que será enviada para o Instituto de Criminalística para passar por perícia. O motorista foi preso em flagrante – os policiais suspeitaram do excesso de carga no veículo.

Sobre o primeiro caso, no Tucuruvi, reportagem exibida ontem no SPTV 1ª Edição afirma que foram apreendidos 15 kg de salsicha vencida, e que estavam à venda em dois açougues na região. A polícia continua investigando os casos.

Já em reportagem no SPTV 2ª Edição, o detido Gustavo Luiz da Fonseca não afirmou à polícia onde adquiriu a carga, e nem para quem repassaria. Ainda ontem Técnicos da Secretaria de Educação estão tentando rastrear para onde iria, inicialmente, esses produtos dos dois casos. Uma sindicância vai apurar se houve desvio ou se a situação ocorreu antes da entrega pelo fornecedor.

O motorista passou por uma audiência de custódia ontem (27/3) e foi liberado. Fonseca vai responder pelos crimes de receptação e crime contra as relações de consumo.

foto: Reprodução/TV Globo/G1

foto: Reprodução/TV Globo/G1fonte: Estadão e Diário de São Paulo / foto (topo) ilustrativa



Topo