Como encontrar emprego on-line durante a pandemia? Google dá dicas

0

Encontrar um trabalho ou se recolocar no mercado nunca foi tarefa simples, mas diante de uma conjuntura impactada pela crise sanitária de uma pandemia, o desafio é ainda maior. No trimestre encerrado em janeiro deste ano, o Brasil registrou a maior taxa de desocupação desde 2012, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com 14,3 milhões de pessoas desempregadas.

Para ajudar quem busca encontrar emprego ou quer mudar de carreira, às vésperas do Dia do Trabalho, o Google lança uma nova etapa do seu programa de treinamento gratuito Cresça com o Google. O ” Jornada de Carreiras ” reúne conteúdos exclusivos produzidos por especialistas de recrutamento do Google e inclui dicas e boas práticas para quem busca iniciar ou desenvolver sua carreira.

O treinamento é aberto e composto por dicas valiosas de como montar um currículo de modo adequado, se preparar para obter um bom desempenho nas entrevistas e a importância da autoconfiança como motor para melhores resultados.

Confira a seguir cinco dicas das especialistas que irão te ajudar a se destacar nas futuras oportunidades de mercado. E não deixe de se inscrever na Jornada de Carreiras Cresça com o Google.

• Ferramentas de busca de emprego

Por meio da Busca do Google, é possível pesquisar vagas e filtrá-las para encontrar exatamente o que está disponível por profissão ou área de atuação. Na barra de busca, procure por área de formação ou, se preferir, pesquise pela localização e aplique os filtros de “Categorias”. É possível também filtrar resultados para oportunidades que permitem trabalhar de casa, basta selecionar “Trabalho de casa” e pronto. Ao encontrar uma vaga que tenha a ver com seu perfil, basta clicar em Salvar e ela fica guardada em “Salvas”. E, ainda, para não perder novas oportunidades é possível habilitar a opção de alertas e receber uma notificação por e-mail quando novas vagas forem abertas.

• Prepare um currículo que mostre os seus diferenciais

A depender da vaga e das qualificações mínimas que ela exige, um recrutador pode receber milhares de currículos para ocupar uma posição. O que fazer então para se destacar, ser notado e aproveitar todas as oportunidades que surgirem? Para começar, não use o mesmo currículo para todos os processos. Cada empresa tem um perfil diferente, por isso uma boa dica é estudar a empresa ou organização para a qual for aplicar e ter currículos adaptados para cada vaga. Mas não se esqueça: seu currículo deve refletir quem você é, suas qualidades e diferenciais. Ser honesto, claro, objetivo e organizado ajuda, e muito. Ninguém é perfeito, todos estamos nos aprimorando enquanto profissionais o tempo todo. Assim, busque demonstrar seu desenvolvimento indicando aprendizados. Por fim, busque não ultrapassar uma página – seu recrutador agradece, e as suas chances aumentam.

“Quando você prepara o currículo, ele tem que estar de acordo com a vaga ou com a empresa que pretende enviar. Essa criação do currículo é geralmente informativa, ou seja, ele vai contar aos recrutadores sobre quem é você. É importante que essa história esteja de acordo com o perfil da empresa, e tenha os dados que a vaga pede”, diz Lia Romano, coordenadora de Programas de Estágios no Google.

• A entrevista é à distância, mas o preparo segue sendo fundamental

Nas entrevistas à distância, o cuidado precisa ser redobrado. Tenha em mente que questões como respeito ao horário das entrevistas agendadas seguem sendo importantes. Ao menos durante a entrevista, busque um ambiente sem muito ruído e distrações, de modo que a conversa seja agradável para as duas partes, e a atenção dos entrevistadores possa se voltar totalmente ao que mais interessa: você.

Estabeleça um diálogo mais interativo, participando ativamente da conversa. Além de responder às perguntas dos entrevistadores, se houver oportunidade, assuma o protagonismo na entrevista e fale proativamente algo sobre si ou faça perguntas relevantes. Mas lembre-se de estabelecer uma comunicação tranquila, objetiva e clara, respeitando o momento de fala da outra pessoa.

“A entrevista é o momento em que você poderá mostrar quem é, explicar suas experiências, exemplificar os objetivos, fazer perguntas, e conhecer também um pouco mais da vaga para a qual aplicou. A empresa poderá te conhecer melhor e por isso a preparação é tão importante. Deixar tudo de improviso, pode ser muito ineficiente. Então, se você se organizar bem, suas respostas e ideias serão muito mais estratégicas. É essencial, por exemplo, documentar tudo o que pesquisar para a entrevista, incluindo informações sobre a empresa, e listar suas competências, previamente, justificando cada uma e as exemplificando com experiências profissionais ou acadêmicas anteriores”, diz Lia Romano, Coordenadora de Programas de Estágios no Google.

• Garanta que a sua pessoa pública na Internet reflete o seu perfil profissional

Nada adianta ter um currículo incrível se isso não corresponder com a realidade, é importante trazer vivências que exemplificam suas realizações. Seja verdadeiro: o currículo deve ser um reflexo das suas habilidades, experiências e aspirações. A entrevista é o momento de contar sua história, apresentar sua personalidade e articular ideias. Mas, além de tudo isso, uma dica importante é se colocar no lugar do recrutador e pesquisar mais sobre você mesmo na Internet. O que você encontrou, reflete o profissional que você é? Seu perfil público em redes sociais e plataformas de emprego estão atualizadas e coerentes com seu currículo?

• Sentir-se confiante ajuda e transparece

A autoconfiança é fundamental em todo e qualquer processo seletivo ao longo da vida. Como um músculo, essa é uma habilidade que precisa ser trabalhada e aprimorada. “Auto-conhecimento é importantíssimo na manutenção da confiança própria. Entender que todo mundo pode se sentir inseguro e saber reconhecer a sua fonte de insegurança, te ajudará a pensar em ferramentas para solucionar qualquer medo ou frustração.”, diz Karen Novaes, especialista de recrutamento do Google Brasil.

Antes de se lançar em uma entrevista de emprego, tenha claro qual é a sua narrativa profissional: pense na sua trajetória profissional como uma história, com altos e baixos, acertos, erros e, mais importante, o que aprendeu com eles. Faça a “lição de casa”: pesquise tudo o que puder sobre a empresa e a vaga para a qual está aplicando. Elabore uma lista de perguntas e respostas, incluindo questões como, por exemplo, “Como você se encaixa no perfil da nossa empresa?” ou “Quais habilidades e/ou competências você possui que fariam sentido para esta vaga?”.

Autoconfiança, ou a falta dela, pode ser algo especialmente crítico para grupos de pessoas que sistematicamente tiveram sua auto-estima prejudicada. Luana Nazareth, especialista em recrutamento e co-autora do módulo “Carreiras pretas importam” no Jornada de Carreira Cresça com o Google, dá o recado: “O seu profissionalismo não está na textura do seu cabelo, na roupa que usa. Por isso, não se apague para se adaptar a um sistema perverso. Somos agentes de mudança, e o seu foco deve ser estar preparado para ver que as suas qualidades são oportunidades, e não barreiras. Como diz Grada Kilomba, ‘Eu quero a liberdade humana de ser eu’. Sejam vocês, mostrem seus potenciais. É isso que esperamos dos candidatos e candidatas em processos seletivos.”