Como tomar sol na quarentena?

0
173
Dia do Sol em Curitiba. Foto: José Fernando Ogura

Com a chegada do coronavírus (covid-19) no Brasil, a recomendação das autoridades é para que as pessoas fiquem em casa a fim de evitar a disseminação da doença. Apesar do isolamento social ser uma importante estratégia para o cuidado com nosso bem estar, essa ação prejudica um outro aspecto de saúde, o “banho de sol”.

O sol é responsável por 90% da aquisição de Vitamina D em nosso corpo, o restante vem de alimentos como leite, gema de ovo, manteiga, peixes de água fria e entre outros. Por estarmos passando bem mais tempo em casa, perdemos a oportunidade de tomar sol.

Além da Vitamina D, o sol também ajuda na:

Sensação de bem-estar – A exposição ao sol aumenta a produção de endorfina pelo cérebro, substância antidepressiva natural, que promove sensação de bem-estar e aumenta os níveis de alegria;

Melhora a qualidade do sono – O sol ajuda a regular nosso relógio biológico, que é quando o corpo compreende os horários de acordar e de dormir;

Previne contra doenças – O banho de sol ajuda a regular o sistema imunológico, dificultando o aparecimento de infecções;

Estimula a produção de melanina – A exposição ao sol ativa a produção do hormônio que dá o tom mais escuro à pele. Ele impede a absorção de mais raios UVB, evitando surgimento de doenças relacionadas à pele.

Em razão desses benefícios, especialistas recomendam, no mínimo, 15 minutos de exposição solar ao menos três vezes por semana, com os braços ou as pernas descobertos. Para evitar a agressividade dos raios UV, os horários recomendáveis são até às 10h e a partir das 16h.

Para quem está em casa e não tem espaços abertos, como varanda ou quintal, é preciso encontrar algum local onde o sol possa entrar dentro de casa. Em último caso, a alternativa pode ser uma volta rápida no quarteirão, claro, respeitando as regras de distanciamento e o uso de máscara.