Prefeituras Regionais

Confira a programação do Ecoponto Móvel em Jaçanã – Tremembé

Nas duas últimas semanas a greve dos caminhoneiros afetou diversos setores, da distribuição de alimentos à escassez de combustíveis. Além destes, outro setor foi afetado: a coleta de lixo e a Operação Cata-Bagulho. Sem combustível, os caminhões responsáveis pelos serviços ficaram comprometidos.

Até mesmo os Ecopontos, durante o momento mais grave da paralisação, ficaram fechados, já que os caminhões não tinham como deslocar os objetos e entulho recebidos nesses locais. Porém, com o arrefecimento da greve, os Ecopontos voltaram a funcionar – e publicamos a lista deles aqui e em nosso site.

foto: Divulgação/Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé

No entanto, entre todas as sete Prefeituras Regionais da Zona Norte, Jaçanã/Tremembé ainda não possui um Ecoponto para chamar de seu. A saída para driblar essa falta e evitar que lixo, entulho e outros materiais invadam as ruas, a Regional criou o Ecoponto Móvel.

O projeto, iniciado em 2017, é realizado em parceria com a Inova, que disponibiliza um caminhão para atender os bairros, de maneira itinerante: a cada semana, está em um lugar. Como é uma região com alta concentração de córregos e moradias no entorno destes, a coleta de lixo e entulho é fundamental – além de combater o descarte irregular.

Em junho, foram divulgados três locais:

  • a Praça Comandante Eduardo de Oliveira, no Parque Edu Chaves, recebe o Ecoponto até sexta-feira (8/6);
  • de 11 a 15 de junho, é a vez da Rua Tamon, no Jardim Corisco;
  • nos dias seguintes, de 18 a 22 de junho, o caminhão estará na Av. Ushikichi Kamiya, próximo ao Hipermercado X.

Diferenças entre os Ecopontos e a Operação Cata-Bagulho

Semanalmente divulgamos algumas ruas que a Operação Cata-Bagulho percorre na Zona Norte. A coleta, nesse caso, consiste em recolher móveis velhos, eletrodomésticos quebrados, pedaços de madeira e metal das vias públicas, córregos e terrenos baldios. Resíduos de construções, demolições e pequenas reformas também entram na coleta. Portanto, o “cata-bagulho” não é apenas uma operação que recolhe lixo comum.

Operação Cata-Bagulho (foto: Divulgação/Prefeitura de São Paulo)

A Prefeitura recomenda que os moradores coloquem entulho que será recolhido pela operação com uma hora de antecedência do início da operação, geralmente realizada a partir das 7h; o horário varia para cada Prefeitura Regional.

Já os Ecopontos são locais específicos para que o morador entregue, de maneira voluntária, os objetos. São aceitos pequenos volumes de entulho (de até 1 m³), resíduos recicláveis e grandes objetos (poda de árvores ou móveis, por exemplo).

Os Ecopontos possuem caçambas diferentes, para cada tipo de material. Depois, os materiais têm destinação adequada, evitando o acúmulo nas ruas e ajudando na preservação do meio ambiente.

É preciso enfatizar que a ação dos munícipes é fundamental: se esses materiais são descartados nas ruas, as consequências são inevitáveis: enchentes, sujeira, proliferação de doenças. Além disso, o descarte irregular é crime ambiental, e pode render uma multa de R$ 14 mil em caso de flagrante.

Ecoponto em Santana (foto: Divulgação/Prefeitura de São Paulo)



Topo