Zona Norte

Conheça algumas iniciativas da ZN que estão doando alimentos à população

Os impactos econômicos gerado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) atingiu, principalmente, os moradores das periferias. Com São Paulo em quarentena, muitos trabalhadores formais e informais perderam seus empregos ou seu sustento.

Para superar este momento de fragilidade social, a população vem se movimentando a fim de evitar que as pessoas passem fome enquanto o país não volta a normalidade. Uma dessas iniciativas é a “Rede de Apoio Humanitários das e nas Periferias”, formada por moradores das periferias de São Paulo.

Criado em 20 de março, sexta-feira, a Rede de Apoio surge como uma plataforma de conectar os doadores com entidades, movimentos ou coletivos que já praticam doações em seus territórios.

Da esquerda para a direita: Lucas Antonio, William André, Valéria Zion e João Mário

Uma das pessoas que fazem parte dessa Rede de Apoio é a Valéria Zion, professora da rede pública e ativista. Ela destaca que o trabalho coletivo proporciona um “um processo de aprendizagem e de fazeres reais, [no qual] os envolvidos passam a descobrir formas de refletir, organizar e transformar o local que ele vive”.

Desde então a Rede de Apoio vem crescendo “em recursos, pessoas e acima de tudo comprometimento dos envolvidos”, declara a professora, que complementa que o crescimento dessa corrente de solidariedade “reforça o quanto as pessoas tem acreditado no trabalho em rede”.

“Quero destacar esse movimento de doação como reverberação de afeto tanto pra quem doa ou pra quem recebe. Mesmo diante de uma pandemia as pessoas se disponibilizam em sair de suas casas pra fazerem doações é um ato de alteridade e amor”, finaliza Zion.

Nesta terça-feira (31) a Rede de Apoio irá promover a doação de 145 cestas básicas, além de materiais de limpeza e materiais escolares nas periferias de São Paulo. As doações serão divididas em cinco locais diferentes, sendo 30 cestas básicas nas zonas Norte, Sul, Leste, Oeste e 25 no Centro.

Outras iniciativas

Essa é apenas uma das iniciativas que ajudam as pessoas que estão em vulnerabilidade. A Casa Missionárias da Caridade, localizada no Jardim Peri (Zona Norte), também está recebendo doações de mantimentos e produtos de limpeza a fim de promover doações aos moradores do entorno.

Já o restaurante Mocotó, localizado na Vila Medeiros e administrado pela chefe Rodrigo Oliveira vem distribuindo marmitas gratuitas às famílias da região.

Foto: Heleno Oliveira/Arquivo Pessoal

Nesta semana, a organização Gerando Falcões doou cestas básicas digitais para 700 famílias das Favela da Nazalli, Sucupira, Flamengo e Jow, localizadas na Vila Dionísia, zona norte.

Outra organização que atua na zona norte é a Rede Geração Solidária. Ela vem atuando em parceria com a Rede de Apoio Humanitário e já promoveu entrega para diversos bairros da zona norte, entre eles estão Vila Albertina, Jardim Joana D’arc, Jardim Tremembé, Vila Ede e Vila  Zilda.

De acordo com Heleno Oliveira, professor e presidente da Rede Geração Solidária, as famílias que recebem as doações estão em situação crítica. No momento de entrega de doações na Vila Albertina, uma das mães beneficiadas desabafou: “Vocês chegaram na hora certa. Eu já estava me perguntando o que nós vamos comer mais tarde”.

Para conhecer mais sobre a Rede de Apoio Humanitário, acesse a página pelo Facebook (clique aqui).

 

 

 

Foto: Arquivo da Rede Geração Solidária/Divulgação




Warning: A non-numeric value encountered in /home/jornalspnorte/www/wp-content/themes/jornalspnorte/footer.php on line 3
Topo