São Paulo

Corte na cultura afeta as Fábricas de Cultura

O perfil oficial da Fábrica de Cultura publicou um comunicado falando sobre o corte na verba na área da cultura. A situação ganhou visibilidade graças a petição a favor do Projeto Guri. Por conta da mobilização, o governador João Dória afirmou que o Guri continuará de forma integral, porém o corte se manteve em outros serviços.

O comunicado postado nesta quinta-feira coloca que o “corte sobre as atividades é real” e que a Secretária ainda não definiu aonde eles irão acontecer.

Segundo a Associação Brasileira de Organizações Sociais de Cultura (Abraosc) ” Estima-se que mais de 60 mil alunos beneficiados pelas atividades educativas destas e de outras instituições deixarão de ser assistidos e mais de 1.100 funcionários serão demitidos”.

A nota apresentada à imprensa, o governador João Dória chama de “contingenciamento” o corte de R$ 148 milhões da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. A medida do governo vale para todas as áreas e serve para “reduzir o déficit orçamentário de 2019, que atualmente está em R$ 10,5 bilhões”.

Abaixo está o comunicado na íntegra:

“Nos últimos dias ficou clara a informação do contingenciamento do orçamento do Estado que atinge a área da Cultura em 23%. Por isso, esclarecemos:
– O Contrato de Gestão da POIESIS com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa define o Plano de Trabalho para as Fábricas de Cultura (Brasilândia, Jaçanã,Vila Nova Cachoeirinha, Capão Redondo, Jardim São Luis e Diadema)
– A pressão do corte sobre as atividades é real, já que está definido no decreto
– Ainda estão em estudos as mudanças que vão ser necessárias para ajustar o Plano de Ação com o volume dos recursos que a Secretaria de Cultura e Economia Criativa vai destinar para este contrato
– A Secretaria de Cultura ainda vai definir as mudanças. Estamos em negociações para isso
Acompanhe novas informações por este canal.”


Topo