Cuidado com o jejum prolongado dos gatos

0
421

Quem tem um gatinho em casa sabe o quanto o paladar do bichano pode ser exigente. Em razão deste problema, muitos tutores deixam seus pets com fome, pois acreditam que, em um momento, o peludo irá comer a ração deixada no pote.

Observando isso, o médico veterinário Flavio Silva aponta que esse método pode ser prejudicial à saúde do gato. Segundo o especialista, o jejum prolongado pode levar o animal à diversas doenças, inclusive a morte:

“Este é um ponto de atenção com os gatos em particular porque o jejum por um período longo, que ultrapasse um ou dois dias (o tempo varia de indivíduo para indivíduo), pode desencadear neles um processo denominado lipidose hepática. Trata-se de uma degeneração gordurosa do fígado, capaz de evoluir para a morte no animal”, destaca Silva.

Para evitar esse quadro, é importante que o pet mantenha uma rotina de alimentação saudável. Já para os bichanos que não comem, o importante é ter paciência e oferecer uma ração de qualidade que seja palatável, sem todos aqueles grãos coloridos de muitos petshops, como o veterinário destaca:

“O que não pode ser feito é adotar uma conduta excessivamente severa e deixar o animal sem comer na tentativa de que, após dias de jejum, ele acabe cedendo e coma o que tem disponível no potinho”.

Mas se o tutor ainda está com dificuldade, o veterinário Flávio Silva destacou algumas dicas:

  • Oferecer uma ração de qualidade: o mais determinante à se fazer aos felinos que não comem é oferecer uma ração palatável, ou seja, de qualidade, que são formulados com proteínas, gorduras e demais nutrientes provenientes de fontes nobres;
  • O que influencia o gato: é importante observar o que está influenciando a alimentação do gato. Observe o tamanho dos grãos, a texturas e o ambiente onde fica o potinho;
  • Faça a troca gradual da ração: caso o tutor queira mudar a marca da ração, o mais importante é realizar a troca de maneira gradual, pois a mudança repentina pode causar transtornos digestivos e dificultar a aceitação do novo produto.
  • Verifique a quantidade da ração: coloque a ração sempre na quantidade que é recomendado pelos fabricantes e dos médicos veterinários;
  • Coloque o potinho da ração em ambientes familiar: os gatos são bastante condicionados, por isso é bom estar atento para manter um local fixo e nunca próximo de caixas de areia e dos potes de água;
  • Jantar é a principal refeição: os gatos têm hábitos noturnos, em razão disso, o horário preferido dos felinos é a noite.
  • Comendo com companhia: tente acostumar seu bichano a ser alimentado por diferentes pessoas, isso evita com que ele fique sem comer na ausência do tutor.
  • Alimentos úmidos: é possível misturar os petiscos úmidos com a ração seca para deixar a alimentação mais agradável. No entanto, o alimento úmido não pode ficar exposto por mais de 30 minutos, então as sobras deverão ser descartadas.

Foto: Shutterstock/Divulgação PremieRpet®.