Turismo

De cabo a rabo: carnaval de vários destinos

Seja nacional ou internacional, as escolas de samba sempre falam de lugares e seus costumes. Carnaval também é história, e relatos de pessoas que aprenderam mais com os enredos do que na sala de aula são comuns. Afinal, são escolas. E de samba!

Clique AQUI e confira o especial do Carnaval 2018!

Neste ano, homenagens não faltam, diretas ou indiretas. O fato é que o paulistano e suas agremiações vão declarar seu amor pelo… Rio de Janeiro. Esqueça a rivalidade entre “paulistas, mêo” e “cariocas, mermão”: o tom da canção é no ritmo das praias, com o Cristo Redentor de braços abertos.

Quatro escolas vão fazer a ponte aérea. Aliás, uma ponte musical, marcada mais pelas andanças de artistas por terras cariocas do que as belezas naturais. As cantorias de Martinho da Vila, lá de Vila Isabel, serão vistas na Peruche, que também vai citar o encontro do sambista com nossos ancestrais em Angola.

Luanda, capital de Angola

Já a Mocidade Alegre vai mostrar a carreira de Alcione, que partiu do Maranhão – Estado também homenageado, desta vez pela campeã de 2017, Tatuapé – e foi para o Rio de Janeiro iniciar a carreira.

Lençóis Maranhenses

A “cidade maravilhosa” também é berço do samba do Fundo de Quintal, grupo histórico que será homenageado pela Mancha Verde. Salve o Cacique de Ramos, tradicional bloco de carnaval! Continuamos no bairro da Zona Norte carioca: é que a Tom Maior vai homenagear, além de Imperatriz Leopoldina, a escola do bairro: Imperatriz Leopoldinense.

Cacique de Ramos

Falando em imperatrizes… Vamos falar de impérios: o de Casa Verde vai trazer a França revolucionária para a avenida. Com um enredo baseado no livro Os Miseráveis, os ideais de igualdade, fraternidade e liberdade vão dar o tom na avenida em um enredo que vai exaltar as lutas do povo por justiça social – tudo a ver com o momento atual do Brasil.

Um outro enredo tem como tema uma personalidade que é mais brasileiro que mexicano. Isso porque a Vila Maria terá Roberto Bolaños, idealizador de Chaves e Chapolin, como guia do enredo sobre o México.

Voltemos ao Brasil… Terra tropical, de sol e axé, de cores e música: chegamos à Bahia de Gilberto Gil, que será o enredo da Vai-Vai. Mais perto – aliás, uma cidade vizinha da Zona Norte: a Gaviões da Fiel vai homenagear Guarulhos, mas de um jeito diferente, por meio de uma lenda indígena.

Elevador Lacerda e Mercado Modelo, em Salvador/Bahia

Já o interiorzão do Brasil vai dar o tom nas violas e boleias da Rosas de Ouro e Dragões da Real. A Roseira vai por o pé na estrada para homenagear os caminhoneiros, enquanto a Dragões vai celebrar o cancioneiro sertanejo.

Por fim, uma volta ao mundo, cada uma do seu jeito: a Independente trará personagens de terror que fizeram história, de Zé do Caixão a Jason. A Tucuruvi vai viajar por museus de todos os tipos e lugares, do francês Louvre ao Museu do Amanhã, no Rio. Já a X-9 Paulistana vai carnavalizar os ditados populares. Afinal, quem tem boca vai a Roma. Ou, como diz o título dessa matéria, originalmente, “De Cabo do Sul a Rabah”.



Topo