Despedida: aplausos e homenagens ao Senador Major Olimpio

0

As 14hs desta sexta-feira (19), o corpo do Senador Major Olimpio deixou o Hospital São Camilo, em Santana, em carro aberto do Corpo de Bombeiros, em direção ao Cemitério e Crematório Primavera em Guarulhos, onde será cremado.

Na saída do cortejo, admiradores, amigos, colegas de Polícia, políticos e familiares aplaudiram e homenagearam Olimpio como gritos de despedida que se misturaram ao buzinaço dos carros e sirenes das viaturas da Polícia Militar e Civil que acompanharam o cortejo. (Veja vídeo no final da matéria)

Nascido em Presidente Venceslau, interior de São Paulo, Olimpio ingressou  na Polícia Militar em 1978 na Academia da Polícia Militar do Barro Branco, no bairro da Água Fria, e na Zona Norte criou suas raízes com sua carreira na Policia Militar, e angariando muito amigos além formar família com esposa e dois filhos.

Bacharel em ciências jurídicas e sociais, jornalista, professor de educação física, técnico em defesa pessoal, instrutor de tiro e autor de livros voltados para a questão da segurança. Foi colunista do Jornal SP Norte com dicas e informações sobre segurança durante vários anos.

Eleito Deputado Estadual em 2006 e 2010, e em 2015 assumiu seu primeiro mandato como deputado federal após ser eleito no pleito de 2014 com 179.196 votos.

Já nas eleições de 2018, Olimpio foi candidato ao Senado Federal, e eleito com expressivo 9 milhões de votos no Estado.

Zona Norte

A Zona Norte era sua casa, não era difícil encontrar o Senador, em padarias e restaurantes que frequentava desde sempre. Presente nos ocasiões importantes de nossa região, Olimpio contribuiu e muito com a Zona Norte durante sua carreira política ajudando várias entidades, instituições e comunidades, destinou verbas parlamentares para hospitais da cidade e também daqui da região, como o Hospital do Mandaqui.

Apesar de seu jeito durão e exigente de fazer valer o que era correto e verdadeiro, era querido por todos, pela forma amável com que tratava as pessoas. Olimpio gostava de estar com pessoas, e sempre a disposição para ajudar aqueles que precisavam e principalmente os mais desafortunados.

Um de seus objetivos como legislador era nas questões da Segurança Pública.

Senador Major Olimpio

O senador durante seu mandato apresentou cerca de 52 projetos de lei. Grande parte deles relacionada à segurança pública e aos sistemas penal e carcerário. Ele era autor, por exemplo, do projeto para pôr fim à saída temporária de presos e de uma proposta para obrigar condenados a custearem tornozeleiras eletrônicas, quando necessárias.

Também era signatário de um texto para criminalizar a prática de caixa 2 nas eleições e de outro para revogar o impedimento de prisão de eleitores às vésperas das eleições. Ainda sobre processo eleitoral, apresentou projeto para extinguir o fundo especial de financiamento de campanhas – bancado com recursos públicos.

Apresentou projeto para flexibilizar o acesso a armas de fogo e munições no país.

Foi autor de textos que previam a indenização de profissionais da segurança pública permanentemente incapacitados para o trabalho em virtude de contaminação pela Covid-19; e para regulamentar a prisão especial de integrantes dessas categorias.

No Senado, o parlamentar afastou-se do governo Jair Bolsonaro após a saída do ex-ministro da Justiça Sergio Moro e por desentendimentos com Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente. Na eleição de 2018, Olimpio apoiou a candidatura do presidente, que na ocasião também era do PSL. Mesmo rompendo com o presidente, Olimpio deixou claro que apoiaria sempre as ações do governo que fossem importantes ao desenvolvimento e crescimento do país.

Comissão de Segurança Pública

O senador foi um dos responsáveis pela criação da Comissão de Segurança Pública do Senado, aprovada em março deste ano, quando Olimpio já estava internado. Era, inclusive, um dos cotados para presidir o colegiado.

Do leito hospitalar, o senador, que liderou o PSL no Senado, chegou a tentar participar das discussões sobre a PEC Emergencial.

O parlamentar por São Paulo fazia parte do grupo informal Muda Senado, que reivindica o fim do foro privilegiado, a prisão após condenação em segunda instância, e mudanças no Supremo Tribunal Federal (STF).

Críticas ao governo

Em uma de suas últimas participações presenciais no plenário do Senado, Olimpio fez questionamentos ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a atuação do governo no enfrentamento da pandemia.

Na audiência com o general do Exército, em 11 de fevereiro, Olimpio manifestou pesar pelas mortes dos senadores Arolde e José Maranhão. Em sequência, emendou: “São vítimas da irresponsabilidade, do negacionismo com que foi tratada a pandemia”.

Ele criticou o governo pela recomendação de uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a doença. Também se queixou da falta de transparência do Executivo, notadamente do Ministério da Saúde.

“[Foi] necessário se criar um consórcio de veículos de imprensa para informar a realidade dos dados no dia a dia”, protestou.

Olimpio também reclamou do fato de o governo não ter promovido um programa de testagem em massa; e da atitude do Ministério da Saúde em relação à aquisição de vacinas.

Afável com colegas

Durante discursos nas tribunas da Câmara e do Senado, com frequência, repetia aos gritos a palavra “vergonha” para demonstrar insatisfação com votações e alguns acordos partidários.

Era famoso pela potência vocal. Muitas vezes, colegas diziam que Major Olimpio não precisava de microfones para ser ouvido. Apesar da postura incisiva, era afável no trato com os parlamentares e com a imprensa.

Lançou-se candidato à presidência do Senado duas vezes: 2019 e 2021. Nas duas ocasiões, contudo, retirou a candidatura no dia da eleição.

Câmara

Major Olimpio foi eleito, em 2014, deputado federal pelo partido Solidariedade e, na Câmara, votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Em março de 2016, um mês antes da votação do impeachment na Câmara, ficou conhecido nacionalmente quando protestou aos Gritos de “Vergonha” durante a posse do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil.

Olimpio era defensor da Lava-Jato, da valorização dos profissionais da Segurança Pública, e da prisão após condenação em 2º Instância.

 

A diretoria e toda equipe do Jornal SP Norte homenageia este colega e amigo, que deixa um legado político para construção de um país melhor, e a saudade de familiares e amigos!

Descanse em paz!