São Paulo

Edital para concessão do Mercadão Municipal é publicado

Nesta sexta-feira (27/09), a Prefeitura publicou em Diário Oficial o edital que prevê a concessão do Mercadão Municipal e do Mercado Kinjo, ambos ficam no centro da cidade. O contrato terá um prazo de 25 anos e terá um valor estimado de R$ 290,6 milhões.

O vencedor do contrato deverá pagar à Prefeitura, uma outorga variável, sendo que o valor será calculado de acordo com a  alíquota entre 5% e 10% da receita bruta, a medida será conforme o desempenho da empresa na administração do contrato. Quanto melhor o desempenho, menor o porcentagem da alíquota.

O contrato prevê, além da operação, a manutenção e exploração comercial dos estabelecimentos. A concessionária deverá fazer uma restauração e reforma interna da fachada e dos espaços, além da readequação total dos dois mercados a fim de oferecer maior conforto e acessibilidade.

Atualmente, os mercados trabalham com sistema de boxes e permissionários que pagam um valor mensal pelo espaço ocupado. O texto prevê uma  medida de transição, no qual o valor de aluguel deverá permanecer o mesmo até o prazo de dois anos.

Privatização na Zona Norte

Neste ano, a Prefeitura colocou o complexo do Anhembi a leilão no mês de agosto, mas por falta de lances, o leilão acabou fracassando. De acordo com a gestão municipal, o principal responsável pelo fracasso foi o valor alto do lance mínimo, estabelecido em R$ 1.45 bilhão pelo TCM (Tribunal de Contas do Município).

Outros pontos que a Prefeitura tem interesse em conceder na zona norte são os terminais de ônibus Casa Verde e Vila Nova Cachoeirinha e o Mercadão do Tucuruvi. Além do futuro parque e Museu Campo de Marte, que a Prefeitura estuda incluir no pacote de privatização.

Foto: Arquivo/Prefeitura de SP



Topo