Imóveis

Entrega da obra e início da ocupação nos condomínios

Danos e avarias em portas de elevadores riscadas, pisos danificados e revestimentos avariados causam muita briga entre construtoras e condôminos durante a fase de entrega das edificações. Mas afinal, de quem é a responsabilidade pelas avarias? Os elevadores, por exemplo, podem sofrer estragos tanto no transporte de materiais de responsabilidade do construtor quanto por um morador que resolveu reformar sua unidade.

Por isso é fundamental que a entrega de uma obra seja minuciosamente vistoriada por todo o corpo diretivo, registrando cada detalhe visual que esteja em desacordo com o memorial descritivo do empreendimento. A inspeção ajudará também a levantar eventuais diferenças entre o padrão do acabamento e os equipamentos prometidos e aqueles efetivamente instalados.

Recomenda-se que a vistoria inclua um roteiro desde o topo da edificação (cobertura, para-raios, luz piloto etc.) ao térreo ou subsolo (quando existir), passando por escadarias, halls, bombas, reservatórios d’água, quadro elétrico, entre muitos outros. Nas áreas comuns, além dos equipamentos e acabamento, é importante conferir o mobiliário. Tudo tem que estar de acordo com o memorial descritivo e o que não estiver de acordo, ser incluso em relatório. Este documento deverá ser entregue à construtora para os devidos reparos ou providências, e nova vistoria realizada posteriormente, para conferência.

A vistoria deve ser acompanhada por engenheiro contratado pelo condomínio. O síndico precisa se proteger com um laudo pericial. Se durante a vistoria o síndico assinar que a obra foi entregue sem problemas, a garantia por vícios aparentes acaba, ficando sobre si a responsabilidade dos eventuais problemas.

Pede-se uma atenção especial à elaboração de um Regimento Interno que controle questões como reformas internas, trânsito de prestadores de serviços, uso das áreas comuns, padronização de elementos decorativos que possam interferir na estética da fachada e dia e horário de mudanças.

Os condôminos deverão atender a procedimentos estabelecidos pela administração (como a apresentação de ART), seguindo não apenas a norma da ABNT que disciplina o assunto, quanto as orientações disponibilizadas pela construtora no Manual do Proprietário e em placas de aviso instaladas nas áreas comuns.

Falta de cuidado ou atenção gera prejuízos ao condomínio e aos condôminos. Diante disso, imprescindível se faz a contratação de uma empresa capacitada para as peculiaridades desse segmento, como Assembleia de Instalação, garantia da Construtora, perfil diferenciado do Síndico, instruções aos Condôminos, orientações ao Corpo Diretivo, treinamento dos funcionários, contanto com profissionais de ponta, especializados nesse tipo de Condomínio, como a FullTime Condomínios.



Topo