Fábricas de Cultura compartilham produção cultural periférica por meio das redes sociais

0

As Fábricas de Cultura, equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciados pela Poiesis, estão com uma programação cultural on-line e gratuita que abordará as produções periféricas por meio das redes sociais.

No documentário Corre Store Moda de Quebrada, 4 jovens da zona sul de São Paulo contam sobre a criação de sua marca de roupas, a “Corre Store”. No vídeo, apresentam detalhes e histórias que levaram a formação da empresa, o sonho de empreender na comunidade onde moravam, os desafios encontrados no ramo da economia criativa e a concepção de cada roupa, partindo de referências em séries, filmes, músicas e histórias de vida. O filme, será transmitido pelo Facebook das Fábricas de Cultura no dia 11 de abril, domingo, às 17h.

No dia do livro, o Slam Capão pretende falar sobre literatura e produção periférica, independente, e de poesia. Trazendo como convidadas Jéssica Campos, escritora no livro “Transcrevendo a marginalidade”, e representantes da Editora Quirino e da Editora Cosmos. A atividade acontecerá no dia 17 de abril, sábado, às 17h pelo IGTV das Fábricas de Cultura.

A Fábrica de Cultura Diadema, convida o projeto Vozes Negras para homenagear o Primeiro Festival Mundial de Arte Negra, em Dakar (Senegal) que aconteceu em abril de 1966. Em dois vídeos, Vozes Negras, é uma iniciativa para dar visibilidades as vozes de artistas, poetas e pensadores negros que emprestam a sua voz para declamar textos de autores negros e assim dar visibilidade às suas criações. A programação acontecerá aos domingos, 18 e 25 de abril, às 19h no Facebook.

O curta O Velho Rei, dirigido por Ceci Alves, começa a partir de um pedido inusitado de Cleonice (Jussara Mathias), que vive fora do país, a seu pai Climério (Antônio Pitanga). Climério passa a gravar tudo o que vê à sua volta, com a câmera enviada por ela, contando uma história através das memórias do passado e o encantamento do presente. Como se ele fosse aprisionando as coisas num doce cativeiro, que encontra sua feliz liberdade na frente dos olhos de Cleonice. O curta será exibido no dia 20 de abril, terça-feira, às 18h pelo YouTube.

Por fim, o historiador e músico Salloma Salomão abordará sobre o autor de música e seus direitos. Serão tratadas a história da lei, o samba vendido para cantores brancos, o racismo e o direito autoral. Direito autoral, a lei, a prática e a experiência da ponte pra cá será transmitida pelo IGTV no dia 22 de abril, quinta-feira, às 16h.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís
CORRE STORE MODA DE QUEBRADA
Moda
11/4 – domingo – 17h
Faixa Etária: Atividade Livre
Plataforma: Facebook
Fábrica de Cultura Capão Redondo
SLAM CAPÃO: PRODUÇÃO LITERÁRIA NA PERIFERIA
Literatura
Performance
17/4 – sábado – 17h
Faixa Etária: Atividade Livre
Plataforma: IGTV
DIREITO AUTORAL, A LEI, A PRÁTICA E A EXPERIÊNCIA DA PONTE PRA CÁ COM SALLOMA SALOMÃO
Vídeo
Contação de histórias, Cultura Indígena, Fotografia, História/Filosofia, Literatura, Música, Performance
22/4 – quinta-feira – 16h
Faixa Etária: Atividade Livre
Participação: Aberta ao Público
Plataforma: IGTV
Fábrica de Cultura Diadema
VOZES NEGRAS (HOMENAGEM AO PRIMEIRO FESTIVAL MUNDIAL DE ARTE NEGRA)
Literatura
Cultura Afro .
18 e 25/4 – domingo(s) – 19h
Faixa Etária: Atividade Livre
Plataforma: FacebookFábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
EXIBIÇÃO DO CURTA: O VELHO REI – COM ANTÔNIO PITANGA | DIREÇÃO: CECI ALVES
Cinema
20/4 – terça-feira – 18h
Faixa Etária: Atividade Livre
Participação: Aberta ao Público
Plataforma: Youtube

Fábrica de Cultura Capão Redondo
Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240
Fábrica de Cultura Diadema
Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180
Fábrica de Cultura Jardim São Luís
Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530
Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270
Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso táctil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braile, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e áudio-books).
Funcionamento das unidades da zona norte e sul de São Paulo, inclusive de Diadema: atualmente as seis unidades gerenciadas pela Poiesis estão realizando suas atividades no ambiente on-line.
Toda a programação gratuita, de fruição cultural e de formação artística, pode ser acessada pelo hotsite http://poiesis.org.br/maiscultura/ .
*Sujeito às mudanças mediante orientações dos órgãos responsáveis.