Zona Norte

Grupo de dança teme ficar sem espaço para ensaiar no CEU Jaçanã

No último final de semana os dançarinos de Hip Hop receberam  a notícia de que não poderão continuar ensaiando no CEU Jaçanã a partir de 2020. A informação foi confirmada pelo próprio gestor da unidade, Daniel Munhoz, afirmando que o grupo de artistas não possuem autorização da gestão para usar o espaço, definindo eles como “clandestinos”.

Desde a fundação do Céu Jaçanã, em 2007, os amantes da cultura do Hip Hop  reúnem-se para praticar e ensinar os mais jovens. A história deste movimento é registrado nas paredes da própria unidade, pois como forma de homenageá-los, foram pintados figuras de dançarinos na parede do local em que o grupo ensaia.

Porém,  mesmo com toda essa história dentro do CEU Jaçanã, alguns membros do grupo receberam a notícia do gestor da unidade de que, a partir do ano que vem, o dançarinos não poderão continuar a usar o espaço para ensaiar sem ter autorização.

Para esclarecer a situação,  o jornalista do SP Norte acompanhou a conversa de membros do grupo com o gestor da unidade sem se identificar. Vale destacar que, logo de inicio, o gestor ficou incomodado de receber o grupo de dançarinos.

Munhoz explicou que eles não possuíam autorização para usar o espaço, e por diversos momentos da conversar os chamou de “clandestinos”. O grupo de jovens tentou argumentar, mas, em diversos momentos, eram interrompido pelo gestor, alegando que estava “cansado” de ouvir a mesma história.

Registro do grupo de dança logo no inicio do CEU Jaçanã – Foto: Reprodução

A justificativa dada pelo Munhoz foi que, ao longo do dia, outros membros do grupo procuraram ele pedindo esclarecimento. Por conta dessa movimentação ele repete em diversos momentos da conversa que os dançarinos “não são um grupo organizado, vocês são um bando”.Vale mencionar que um dos jovens ficou incomodado pelas repetidas vezes que o gestor os chamava de “clandestino”. No entanto a reação de Munhoz foi surpreendente, que interrompeu o jovem, pegou o dicionário e pediu para que ele lesse o significado da palavra, criando um momento de constrangido geral.

Registro atual do grupo de dança com os mesmos integrantes – Foto: Reprodução

A conversa acabou quando os dançarinos se comprometeram a fazer o pedido do uso de espaço, no entanto, Munhoz não garantiu que eles poderiam conseguir a permissão, já que o pedido deveria receber autorização da diretoria da unidade, da qual ele faz parte.

Por sua vez, Munhoz disse que não iria mais receber ninguém que viesse pedir esclarecimento sobre o assunto. No entanto, um presentes questionou a declaração argumentando que ele, enquanto gestor do equipamento público, deveria atender a todos.

O que diz a Prefeitura?

Em resposta, a Secretaria Municipal de Educação garantiu que “o grupo de dança não está e não será proibido de utilizar o CEU”. A nota continua: “Para uma melhor organização do espaço e horários, o grupo será orientado a, no inicio do próximo ano, preencher o formulário de cessão de espaços com os dias e horários que necessitam para utilizar os espaços do CEU, dividindo o local com os demais grupos (zumba, dança, capoeira, karatê e ballet)”.

Por fim, a Secretária destacou que a Gestão do CEU Jaçanã estará “a disposição para esclarecimentos”.

Em relação a postura do gestor, a Secretária não quis se pronunciar.



Topo