Zona Norte

Jaçanã completa 149 anos repleto de atrações e histórias

No sábado (14/09), um dos bairros mais conhecidos da cidade completará 149 anos e para celebrar essa data, a subprefeitura de Jaçanã/Tremembé montou uma programação especial para o mês inteiro com atrações culturais e ações de zeladoria. São elas:

  • Exposição: Abraça Edu Chaves: Independência do Brasil | De 3 a 30/09 na Biblioteca Edu Chaves – Praça Comandante Eduardo de Oliveira, 100;
  • Evento Cívico (Apresentação cultural de alunos de Escolas da Região) | Dia 13/09, às 9h, na Biblioteca Edu Chaves – Praça Comandante Eduardo de Oliveira, 100;
  • Ação de Zeladoria | Dia 14/09, às 9h, na Praça Álvaro Altair Marinelli;
  • Cerimônia de Encerramento das Comemorações| Dia 25/09, às 19h, subprefeitura de Jaçanã/Tremembé – Avenida LuisStamatis, 300.

Para homenagear essa importante data, o Jornal SP Norte foi ouvir o subprefeito de Jaçanã/Tremembé, Alexandre Pires, que passou seu recado:

Hoje é o seu dia, seu aniversário, mas nós que recebemos o presente de pertencer a sua terra, lugar de gente boa, que na dificuldade do dia, acorda, luta e, com perseverança e determinação, enfrenta a vida. Devemos cuidar, zelar e principalmente resgatar o amor, o orgulho pelo bairro. Parabéns Jaçanã pelos 149 anos“.

Jaçanã

Graças a música “Trem das Onze”, de Adoniran Barbosa, o bairro ganhou fama por todo Brasil. por conta disso, a região possui diversas referências a canção, entre elas está a rua Trem das Onze e o Museu do Jaçanã, localizado na antiga estação e com uma estética que faz referência ao trem da região.

Apesar do nome, o “trem das onze” nunca existiu, isso porque o último horário que ele passava pela região era às 21h30.Seu ramal ligava o Centro de São Paulo a Guarulhos. Tamanduateí era a estação de partida, no Centro. Ao todo, a linha possuía uma trajeto de 21 quilômetros.

Berço do Cinema

A região foi um dos maiores pontos do cinema nacional durante anos. Além das dezenas de cinemas espalhados pelo seu território, foi no Jaçanã que nasceu a Companhia Cinematográfica Maristela, um dos primeiros estúdios de produção de filme.

No entanto o sonho da sétima arte não durou muito, foram oito anos de história produzindo cerca de 20 filmes. Pisaram no estúdio alguns mestres do cinema brasileiro na época, como Procópio Ferreira, Tônia Carrero e Odete Lara.

Por conta de sua infraestrutura, o jornalista Roberto Marinho, cogitou instalar a futura TV Globo ali, mas a proposta de compra foi recusada pelo proprietário.



Topo