Zona Norte

Jaçanã é o 9º distrito de São Paulo com mais adolescentes grávidas

De acordo com o Mapa da Desigualdade da Primeira Infância, da Rede Nossa São Paulo em parceria com a Fundação Bernard van Leer, uma adolescente moradora da periferia tem 53 vezes mais chances de engravidar que outra moradora de bairros nobres.

O relatório apontou que Jaçanã é o distrito da zona norte com mais registro de gravidez na adolescência e o nono em toda a cidade de São Paulo, de acordo com a pesquisa, 13,58% das mulheres grávidas são mulheres com menos de 19 anos.

Apesar de destacar-se na capital paulista, o índice de Jaçanã fica abaixo da média nacional de 15%, segundo dados preliminares do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil registrou 68,4 nascimentos a cada mil meninas de 15 a 19 anos. A taxa é maior que a média mundial, de 43 nascimentos, e também supera a estimativa da América Latina, que tem uma estimativa de 65,5.

O Mapa da Primeira Infância reúne 26 indicadores municipais que apresentam índices de 96 distritos de São Paulo sobre temas fundamentais para o bem-estar e qualidade de vida de crianças de zero a seis anos de idade.

Abstinência como prevenção

No inicio de fevereiro deste ano o governo federal lançou uma campanha nacional: “Tudo tem seu tempo: Adolescência primeiro, gravidez depois”. O programa tem a proposta de incentivar a abstinência sexual dos adolescentes como forma de combater a gravidez precoce.

Mortalidade Materna

Segundo o Mapa da Desigualdade de 2019, também da Rede Nossa São Paulo, Jaçanã também está entre os 10 distritos com mais casos de mortalidade materna de São Paulo. Esse problema acaba não sendo uma novidade, pois em 2018 a região figurava em terceiro lugar dos distritos da capital paulista onde mais ocorria essa fatalidade.

No Mapa de 2018, Jaçanã registrava 25,25 fatalidades a cada 10 mil habitantes, já no ano passado houve uma redução para 16,26, significando uma queda de 36%.

Ações da Prefeitura?

De acordo com a Prefeitura, a cidade de São Paulo oferece programas educativos sobre a sexualidade voltados para crianças e adolescentes a cada uma das seis Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS), por meio das unidades da Rede de Atenção Básica.

Segundo a gestão municipal, a prevenção é a prioridade, no entanto, a partir de um resultado positivo do teste de gravidez, disponível em livre demanda nas UBS, AMA ou hospitais, as adolescentes já são encaminhadas para a primeira consulta de pré-natal na própria UBS.

Na capital paulista, o Hospital Municipal Maternidade Escola Vila Nova Cachoeirinha faz o pré-natal de adolescentes em ambulatório de risco, em razão da faixa etária e da possibilidade de apresentar intercorrências por conta da idade precoce para a gestação.




Warning: A non-numeric value encountered in /home/jornalspnorte/www/wp-content/themes/jornalspnorte/footer.php on line 3
Topo