Zona Norte

Policia conclui caso do adolescente morto em frente ao Habib’s sem apontar culpados

O caso sobre o garoto João Victor, morto há dois anos em frente ao Habib’s da Cachoeirinha, ganhou mais um episódio. A Polícia Civil concluiu o caso sem apontar culpados. Porém a Justiça, a pedido do Ministério Público, determinou que a delegacia responsável pela investigação produza novas provas.

A polêmica morte do João Victor aconteceu quando surgiram vídeos de câmeras de seguranças mostrando o garoto ameaçando os seguranças do Habib’s com um pedaço de madeira, logo após mostra ele sendo arrastado pelos funcionários pelos braços, aparentemente desacordado. Depois eles jogam o adolescente na calçada.

Habib’s – Foto Newton Menezes-Futura Press-Estadão Conteúdo

Uma das testemunhas é uma catadora de material reciclável que foi para a Delegacia informar sobre uma possível agressão dos funcionários do Habib’s ao adolescente. Eles negam a versão e contam que foi um cliente que desferiu um soco na cabeça de João.

Segundo o Portal G1, o delegado Nicola Romani, do 28° Distrito Policial – Freguesia do Ó, escreveu um relatório de duas páginas informando que os laudos da Polícia Técnica-Científica concluíram que a morte do garoto João Victor foi devido ao infarto por conta do uso de drogas. Não foi mencionado que as agressões colaboraram com a morte de João Victor.

A família confirmou que João Victor já tinha usado lança-perfume, porém afirmar que ele estava em tratamento médico e era saudável.

O Ministério Público solicitou à policia mais de três diligência porque quer saber se a agressão pode ter influenciado ou acelerado a morte do garoto. João Victor tinha 13 anos de idade quando faleceu.



Topo