Turismo

Juneau: exuberância gelada do Alasca

Capital do estado americano é perfeita para quem busca aventura

Aqui no Brasil, assim como no Hemisfério Sul, já experimentamos os primeiros raios de sol das estações mais quentes. Estamos na primavera, enquanto o Hemisfério Norte está no outono. Por isso, a coluna de Turismo da semana já prepara os mais aventureiros para o inverno na parte norte do globo: vamos à Juneau, capital do Alasca.

A maior cidade americana em área (mas são apenas 13 mil habitantes) tem em suas paisagens geleiras, florestas, cachoeiras e um visual que impressiona. Mas, prepare-se: a média de temperatura anual é inferior a 5°C. Quem quiser ir em um período mais ameno, pode curtir o “verãozão” de temperaturas a 20°C, mas com nuvens e chuva. Definitivamente, Juneau é para quem gosta de inverno!

A cidade está localizada próxima da fronteira com o Canadá. Porém, o terreno irregular entre os dois países não permite a ida fácil de um lado para o outro. Hoje, Juneau é ponto certo para quem busca mergulhar em uma jornada repleta de natureza. A pesca é uma das principais atividades do lugar – salmão, então, é prato principal! Nos rios, remos e caiaques cortam a cidade. Na neve, uma aventura em um passeio de trenó em parques nacionais.

Você pode se aventurar nas Nugget Falls – também conhecidas como Mendenhall Glacier Falls – uma cachoeira um tanto diferente, mas que é uma das mais famosas atrações da cidade. No Tracy Arm Fjord é possível ver a gigante geleira Mendenhall. Ali é possível fazer passeios de barco e observar o gelo e a vida selvagem do Alasca: leões marinhos, ursos e o boto-de-hall, uma “mistura” de golfinho e orca.

A chegada a Juneau é feita, apenas, de aviões e balsas, já que é cercado por montanhas, florestas e o canal de Gastineau – não há conexão com a terra para outros lugares. Para partir do Brasil, é preciso fazer duas conexões, pelo menos.

Última dica: um dos maiores espetáculos naturais da Terra pode ser visto em Juneau: a aurora boreal. Emocionante.

fotos: Pixabay



Topo