Lives and Fakes – A comunicação e expressão facial em tempos de pandemia

0
698
Attraktive junge Frau benutzt ihr Smartphone zur Orientierung unterwegs

 

Vera Mendes – Fonoaudióloga, Pós Graduada em estética e saúde. Precursora da Fono Estética no Brasil. Palestrante e professora.

CEO Plena Vida – serviços e soluções em saúde e bem -estar

fonoveramendes.wixsite.com/personal-face

fonovera.plenavida@gmail.com

fonoveramendes@hotmail.com

 

 

Dentre as dúvidas e questões que possam vir assombrar nossos pensamentos no momento atual, qual você diria que é a de maior desafio neste momento em que nosso planeta se encontra mergulhado?

a) Saber o que é exatamente o COVID-19?

b) Saber como se proteger de maneira eficaz do COVID-19?

c) Entender como realmente se contrai e propaga o COVID-19?

d) Saber o quanto de manipulação política existe por trás da pandemia?

e) Todas as anteriores

f) Nenhuma das anteriores

O que você acha?

Bem, tenho algo muito sério a lhe contar……

O ponto de maior desafio é apenas 1 .

COMO SE DÁ OU SE PROCESSA AS INFORMAÇÕES TRANSMITIDAS E RECEBIDAS – A COMUNICAÇÃO.

Em todos os casos a, b,c ou d, é fato que dependemos de como essas mensagens irão ser transmitidas e/ou recebidas.

Sabemos que existem 2 canais de processamento dessa comunicação:

Emissivo (voz, dicção, expressão facial e corporal)

Receptivo (audição quantitativa ou qualitativa – processamento dos dados recebidos)

Sendo assim, deveríamos ouvir mais e falarmos menos, já que temos 2 ouvidos e 1 só boca!!! Mas, o que mais podemos constatar em muitos casos, é uma resposta reativa (levando-se em conta de como tal informação foi recebida e processada). Muitas vezes repassamos uma mensagem sem ao menos verificar a procedência dela, ou mesmo questionarmos a lógica ou os motivos expressos ou subentendidos na mensagem. Então, muito facilmente, espalhamos uma Fake News. Confiamos por certo na pessoa que enviou mas não questionamos ou checamos a sua legitimidade ou veracidade.

Estamos assistindo, ultimamente, uma grande parte da mídia “profissional”, retirando um texto, de dentro de um contexto, usando como pretexto oportunista em “defesa” do seu egocêntrico ponto de vista. Infelizmente chagamos a tal ponto.

Já dentro do universo corporativo, observamos que a comunicação entre os departamentos – comunicação interna, interpessoal, assertiva ou técnica, podem vir a ocasionar sérios transtornos no ambiente de trabalho. Por exemplo:

Sabemos que a comunicação não verbal (facial e corporal), compõe cerca de 65% de uma mensagem transmitida; sendo que os outros 35% dividem-se em: voz, e fala propriamente dita.

Sabemos também que a face é, muitas vezes, o sítio portador de “histórias de vida” – presentes ou passadas dos seres (humanos ou animais – segundo Charles Darwin).

Essas “histórias” ou “assinaturas de vida”, podem carregar problemas de saúde ou familiar, um obstáculo financeiro ou no serviço.

Frequentemente podemos assistir situações de conflito nas relações de trabalho simplesmente pela EXPRESSÃO FACIAL  de determinado funcionário que, para alguns, pode transmitir braveza, aspereza, tristeza, mal humor ou grosseria. Mas que, na verdade, tal pessoa pode estar apenas passando por problemas pessoais que acabam por tensionar e pesar na sua expressão facial.

Portanto, se você pensa em promover em si mesmo uma comunicação assertiva, clara e expressiva, procure um fonoaudiólogo.

O fonoaudiólogo é o profissional capacitado para dar suporte e desenvolver sua voz, fala, linguagem, expressão facial e verbal.

Veja a live completa em: