Tecnologia

Lixo eletrônico: o problema que ameaça o futuro do planeta

Computadores, celulares, geladeiras e TVs são alguns dos equipamentos descartados pela população de maneira incorreta – materiais que acabam indo parar em lixões expostos.

Com as mudanças e descobertas da tecnologia, a substituição dos aparelhos passou a acontecer de forma mais rápida, o que contribui negativamente com o aumento no volume dos chamados lixos eletrônicos. Segundo pesquisas, 50% das trocas de aparelhos digitais, celulares e eletroeletrônicos não foram efetuadas por desgaste ou mau funcionamento do aparelho e sim, porque o novo era mais atual, mais moderno, melhor ou com mais funções.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) situam o Brasil na segunda colocação, em um ranking dos países das Américas, na produção de e-lixo, só perdendo para os Estados Unidos. É também o sétimo maior do mundo.

Com enorme quantidade de chumbo, mercúrio e outras substâncias químicas, os lixos eletrônicos têm gerado cada vez mais problemas ambientais e de saúde no mundo todo.

É normal encontrar em um celular ou computador mais de 40 elementos químicos diferentes e alguns destes apresentam-se como vetores de dermatites e outros mais nocivos à saúde, provocando cânceres, enfisemas e alterações neurológicas e cromossômicas.

Além dos malefícios à saúde, há também a contaminação do solo e das águas fluviais, que atingem diretamente e indiretamente o ser humano, através da cadeia alimentar.

Assim, surge a responsabilidade compartilhada entre governo, empresas e sociedade, visando o descarte consciente dos produtos eletrônicos.

Prefeitura inaugurou o primeiro ponto público de coleta de e-lixo na cidade

De olho no problema, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, anunciou na segunda-feira (14/5), a implantação do primeiro ponto público de coleta de e-lixo da cidade, no Parque Ibirapuera.

O empenho da SVMA na ação é conscientizar os munícipes quanto aos riscos que possíveis elementos químicos contidos no lixo eletrônico causam ao meio ambiente.

A iniciativa se deu por uma parceria com o Movimento Greenk (criado para conscientizar e mobilizar a sociedade para o descarte correto do lixo eletrônico) e o Principado de Mônaco.

Além do Ibirapuera, outros parques da cidade receberão pontos públicos de coleta, em uma iniciativa inédita no país.

Os materiais descartados nos pontos de coleta da cidade serão retirados pelo Sistema da Green Eletron, Entidade Gestora fundada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) para gerenciar a Logística Reversa de equipamentos eletroeletrônicos. Os materiais passíveis de recuperação serão enviados aos Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs), que integram o programa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Serão coletados computadores (notebooks e CPUs), impressoras, celulares, tablets, monitores e equipamentos eletroeletrônicos de pequeno porte.

O coletor de e-lixo que será utilizado foi desenvolvido pelo Movimento Greenk conjuntamente com a Green Eletron. O produto é fabricado em aço, metais e plásticos reciclados, oferecendo resistência às intempéries – já que estará exposto ao sol e à chuva nos parques públicos.

O Termo de Cooperação firmado, possui um investimento de R$200 mil e prevê o projeto de implantação e operação de pontos de coleta de lixo eletrônico na cidade por doze meses.

Confira a relação de parques municipais que receberão os pontos de coleta:

1) Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n

2) Parque Trianon – Rua Peixoto Gomide, 949

3) Parque Prefeito Mario Covas – Avenida Paulista, 1853

4) Parque da Independência – Avenida Nazareth, s/n

5) Parque do Cordeiro Martin Luther King – Rua Breves, 968

6) Parque Lina e Paulo Raia – Rua Volkswagen, s/n

7) Parque Buenos Aires – Av Angélica, 1.500

8) Parque do Povo – Av. Henrique Chamma, 420

9) Parque da Aclimação – Rua Muniz de Souza, 1.119

10) Parque Burle Marx – Av. D Helena Pereira de Moraes, 200

11) Parque Piqueri – R. Tuiuti, 515

12) Parque do Carmo – Av. Afonso de Sampaio e Sousa, 951 – Itaquera

13) Parque Vila Guilherme /Trote – Rua São Quirino, 905



Topo