Tecnologia

Lixo eletrônico: você sabe o que fazer quando precisa jogar fora?

Cada vez mais o descarte de lixo irresponsável deixa a cidade vulnerável. Com grandes quantidades de pontos viciados de lixo, o cidadão torna-se mais suscetível a doenças e a cidade, às enchentes. Um ambiente sujo atrai animais que também podem causar diferentes tipos de enfermidades.

Um dos exemplos que está relacionado ao descarte de lixo e à prevenção da saúde é o combate ao mosquito aedes aegypti, causador de dengue e, também, da febre amarela, pois o inseto é o vetor urbano da doença. Com o acúmulo de lixo, os locais ficam mais suscetíveis, fazendo surgir criadouros do mosquito.

Além do descarte de lixo, muitos desconhecem os males de descartar eletrônicos em qualquer lugar: aparelhos, baterias, entre outros, causam sérios danos ao meio ambiente, podendo contaminar cursos de água e redes de esgoto se descartados no lixo comum.

Porém, graças a negócios empreendedores e inovadores, novos mecanismos estão sendo desenvolvidos para evitar o descarte incorreto desses materiais. É o caso da empresa de reciclagem de lixo eletroeletrônico (computadores, micro-ondas, TVs, rádios, entre outros) Coopermiti, localizada na Casa Verde.

Fundada em março de 2010, é uma das pioneiras do serviço no Brasil. Além de realizar a coleta de itens eletrônicos para reciclagem, também oferece diferentes serviços de conscientização e orientação, como oficinas pedagógicas para todos os anos de ensino (Educação Infantil, fundamental I e II, Ensino Médio e até gestores e educadores), e material de educação e orientação online com acesso gratuito.

Museu eletrônico

Outro destaque dos serviços propostos pela empresa está no museu de antiguidades eletroeletrônicas. O espaço interativo incentiva o conhecimento e a conscientização diante da importância da reciclagem, e traz verdadeiras relíquias que já foram muito utilizadas no século XX. Na exposição virtual estão dispostos itens que vão desde batedeiras e sua história a instrumentos musicais, brinquedos e muitos outros produtos que marcaram a gerações. Para se ter uma ideia, os que tem menos de 30 anos certamente nunca viram alguns dos aparelhos!

BlackFriday: olho no bolso e no descarte correto de materiais

Por trabalhar com o manejo do lixo eletroeletrônico, a chegada da BlackFriday (24/11) costumeiramente eleva os índices de descarte de lixo eletrônico de maneira irresponsável. Por garantir preços muito mais acessíveis do que no resto do ano, muitos cidadãos resolvem trocar seus aparelhos e, por desconhecimento, os descartam no lixo comum. Com isso, a cooperativa recicla apenas até 30% da capacidade total jogado fora.

De acordo com os objetivos da Coopermiti, essa é a intenção dos serviços de conscientização e educação. Com eles, o cidadão vai aprender o que fazer com o lixo eletroeletrônico sem utilidade, onde e como descartá-lo, e a importância dessa atitude, não só à cidade, mas ao meio ambiente.

Confira em www.coopermiti.com.br todos os procedimentos de agendamento à coleta de lixo, mais serviços disponíveis, e o museu virtual.

fotos: imagens ilustrativas/Pixabay



Topo