Auto e Moto

Maio Amarelo: Campanha contra fatalidades de motociclistas

O primeiro trimestre deste ano fechou com o menor número de mortes no trânsito desde 2015, de acordo com dados do Infosiga-SP. Em contraste com a redução de fatalidades, neste mesmo período os motociclistas tiveram um aumento de quase 6% de óbitos.

Ainda na onda da campanha do Maio Amarelo – mês de conscientização no trânsito – o  Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) iniciou uma campanha de prevenção de acidentes exclusiva para motociclista, a principal vítima no trânsito.

Além da campanha nas ruas, o Detran separou 12 dicas simples para melhorar a segurança do motociclista e de quem participa do trânsito:

Capacete: Item mais que obrigatório, tanto para o piloto como ao garupa. Ele deve ser usado junto com a viseira. Na ausência dela, será necessário usar óculos protetor específico – não vale óculos com lentes corretivas ou de sol.

–  Calçados e roupas resistentes: Por andar mais exposto, usar vestuário com tecido mais grosso protege melhor o motociclista. Nada de chinelos ou sandálias. Há botas, jaquetas e calças específicas, com material mais resistente para evitar lesões.

–  Uso do celular: Em qualquer direção, evite o uso de celular. Ele pode ser utilizado como GPS acoplado por meio de suporte no guidão da moto, mas não pode ser manuseado.

Trafegar no corredor: Mesmo a legislação federal não proibindo a circulação de motos nos chamados corredores, é preciso ficar atento ao trafegar nele, pois o motociclista corre o risco de não ser visto pelos demais motoristas, principalmente se estiver entre veículos grandes.

Ultrapassagem à direita: Os motoristas de carros não esperam essa atitude e isso aumenta o risco de colisão. A ultrapassagem deve ser feita em locais permitidos pela sinalização e pela esquerda.

Excesso de velocidade: Respeitar os limites de velocidade é fundamental para todos que participam do trânsito.

Manobras: Empinar a moto, além de só querer chamar a atenção, pode colocar todos em perigo.

 Escapamento esportivo: É permitido, desde que atenda o que prevê a legislação federal de trânsito. O motociclista não pode rodar com descarga livre, silenciador defeituoso, sem redutor de temperatura ou com dano que comprometa a eficiência do escapamento, situações que configuram infração de trânsito.

Alterações na motocicleta: Podem ser feitas, desde que sigam as especificações previstas na legislação de trânsito e muitas devem ser anotadas no documento da moto. Na dúvida do que pode mudar, procure primeiro o Detran.SP.

Antena corta-pipa: Apesar de não ser um item obrigatório, é de extrema importância para a vida do motociclista, pois impede o contato direto da linha cortante da pipa com o pescoço do piloto.

Buzina só na hora certa: Não deve ser utilizada de forma prolongada e a qualquer pretexto, apenas em situações necessárias para advertir pedestres e condutores de outros veículos, dando um simples toque.

Manutenção preventiva: Fazer check-up é evitar dor de cabeça e falhas inesperadas. Confira sempre a calibragem e a aderência dos pneus, freios, buzinas, combustível, funcionamento do farol, entre outros itens importantes, e siga em paz.



Topo