Marcelo Segredo

Marcelo Segredo l Bancos incentivam cliente a dar calote

É mais Vantajoso deixa de pagar dívida do que pagar em dia

Não amigo leitor, eu não estou ficando louco. Essa é uma afirmação baseada em provas reais e muito bem fundamentadas.

Atuo no segmento da defesa do consumidor bancário há mais de 20 anos, e atendo cerca de cem endividados por mês (PF e PJ), e a história é sempre a mesma. Se você usa o limite do cheque especial está pagando em média 12,25% de juros ao mês. Se vai pedir um empréstimo no banco, o Itaú por exemplo, está cobrando em média 7% ao mês de juros, ou seja; precisou de crédito, será explorado.

Ah, e sabe aquele “economista” que vai na TV dizendo para você trocar dívida cara por mais barata? Te orientando a procurar o gerente do banco? Não cai nessa!

O lucro dos bancos brasileiros se mantém alto independentemente da situação econômica do país, seja em momentos de crise ou de prosperidade, diz um artigo publicado pela revista britânica “The Economist” . O artigo cita que o setor bancário se manteve lucrativo tanto no período de hiperinflação na década de 1980 e início dos anos 1990 como durante a maior recessão econômica do país, entre 2015 e 2016. O momento agora é menos turbulento, segundo a “Economist”. Ainda assim, os bancos registram lucros elevados.

Acompanhei o caso de um cliente que acumulou entre cheque especial e cartão de crédito, uma dívida de R$ 42.682,85 junto ao Banco Itaú.
Seguindo as orientação de um “conceituado economista” da Globo, procurou o banco e fez um empréstimo para cobrir esse saldo devedor. O banco aproveitando-se da situação obrigou o mesmo a contratar um seguro R$ 3.862,72 praticando aí o crime de venda casada (detalhe, ele é profissional autônomo, ou seja, jamais conseguirá usar esse seguro no caso de inadimplência), fora os impostos(governo também ganha com o seu endividamento), ou seja, contratou R$ 48.168,63 em 39 parcelas de R$ 2.982,35 = R$ 116.311,65. Os juros mensais cobrados foram de 5,72% ao mês. Resumindo, R$ 42.682,85 viraram R$ 116.311,65, temos aqui absurdos 68.143,02 só de juros abusivos. Isso é um assalto a mão armada ou não é?

Itaú incentiva cliente a tornar-se inadimplente
acompanhei meu cliente para uma reunião em sua agência buscando uma taxa de juros menor, pois sei de casos em que o Banco Itaú no mesmo período juros de 2,5% ao mês.

Juros Menores para Inadimplentes
A mesma informou que de fato o banco oferece juros bem menores, mas apenas para clientes que deixaram de pagar a dívida, ou seja, se você usa limites para alguma emergência e procura o banco em busca de juros menores ele oferece uma taxa ainda elevada, agora de ficar inadimplente por um período de 90 dias pelo menos, o banco já irá lhe oferecer juros bem menores.

Se a dívida de meu cliente fosse cobrada com esses juros de 2,5% ao mês, seriam 39 prestações de R$ 1.947,75, totalizando R$ 75.962,41, ainda extremamente elevada, porém R$ 40.349,23 a menor.

Como podemos observar, o próprio sistema bancário leva o consumidor a tornar-se um inadimplente já que não existe flexibilidade, não existe diálogo, e sim coação, venda casada e porque não dizer, extorsão financeira.

O Pior Cego é aquele que não quer enxergar
Isso nos leva a refletir que STF, STJ, Ministério Público, Órgãos de Defesa do Consumidor Governamentais e afins, fecham os olhos para essa barbárie nacional e caminham de mãos dadas com a impunidade daqueles que são coadjuvantes pela profunda crise financeira que estamos enfrentando.

“É bem verdade que as pessoas não percebem o nosso sistema bancário e monetário, pois se percebessem, acredito que teríamos uma revolução antes de amanhã de manhã.” – Henry Ford.


marcelo-segredoConsultor financeiro, palestrante, ex-presidente da ONG ABC (Associação Brasileira do Consumidor), criador da “Clínica Financeira” e “Casamento & Negócios”, diretor presidente da Marcelo Segredo Assessoria Empresarial
Fone: 3360-2902
site: www.marcelosegredo.com.br
e-mail: marcelo@marcelosegredo.com.br



Topo