Cinema

O Grande Circo Místico: filme representa o Brasil na corrida pelo Oscar

O filme nem estreou: a chegada nas telonas será em novembro. Mas O Grande Circo Místico, do diretor Cacá Diegues – recentemente eleito um dos imortais na Academia Brasileira de Letras –, será o representante do Brasil em busca de uma vaga entre os selecionados a Melhor Filme Estrangeiro.

O elenco é formado por estrelas do cinema e da TV, como Antonio Fagundes, Mariana Ximenes, Juliano Cazarré, Bruna Linzmeyer e Jesuíta Barbosa. Inspirado em um poema de Jorge de Lima, e com músicas de Chico Buarque e Edu Lobo (que possuem um álbum homônimo), O Grande Circo Místico mostra a trajetória de 100 anos e cinco gerações de uma mesma família à frente de espetáculos e histórias fascinantes. A história também foi aos palcos de dança na década de 1980. A estreia mundial de O Grande Circo Místico foi no prestigiado Festival de Cannes, na França, em maio.

Durante essa trajetória, o universo da tradicional família austríaca, dona do Grande Circo Knieps. De lá, nasce um romance improvável entre uma artista e um aristocrata. O filme mostra a criação desse grupo circense, o auge e a decadência, permeados por dramas e tragédias. Enfim, um épico dramático ou, ainda, uma fantasia lírica.

A história começa com o romance entre uma jovem bailarina (Bruna Linzmeyer) e um médico (Rafael Lozano). Apaixonado pela dançarina, lhe dá de presente um circo. A arte e a saga da família atravessa os anos e décadas, ligadas por meio do apresentador do circo Celavi (Jesuíta Barbosa), que unirá os fios da trama.

Por fim, O Grande Circo Místico é um sopro de poesia em meio a tempos tão turbulentos. Confira o trailer:



Topo