São Paulo

Obras no Rio Tietê prometem melhorar a qualidade da água

O túnel em escavação, com cerca de 18 metros de profundidade, vai da Avenida do Estado até a Ponte do Piqueri, seguindo sob a marginal do rio Tietê.

O Interceptor Tietê 7 é uma tubulação que fará a captação e o envio de esgotos de 13 bairros da capital para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Barueri. O prefeito Bruno Covas e o secretário de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, estiveram na quinta-feira (7/3), vistoriando uma das obras.

Segundo a prefeitura, a obra vai beneficiar uma população de 2,2 milhões de pessoas com o novo sistema de coleta e tratamento de esgoto que vai se complementar ao atual.

O interceptor está localizado à margem esquerda do Rio Tietê, com 7,5 km de extensão, cujas obras foram iniciadas em 2016. Em setembro de 2018, foi concluída a construção do Coletor Tronco Anhangabaú. O trabalho, com custos de R$ 358 milhões, permitirá que o esgoto seja levado a um sistema de tratamento do Governo do Estado, na cidade de Barueri.

De acordo com a Secretaria de estado de Infraestrutura e Meio Ambiente, hoje o túnel está 97% feito. Esses trabalhos estarão concluídos em 30 dias e então serão prosseguidas todas as interligações.

As edificações do município são executadas pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Em 23 de junho de 2010, a Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado firmaram acordo com a Sabesp para execução de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário na capital pelos próximos 30 anos. A construção faz parte de um conjunto de obras que contempla, entre outras, a implantação dos coletores tronco Anhangabaú e Baseball e de outro interceptor (ITa-1J). As intervenções estão sendo executadas no âmbito do Projeto Tietê e beneficiarão grande área nas margens do rio Tamanduateí.

Rio Tiete – Foto Luis Guadanoli Secom



Topo