Zona Norte

Onde brotam rios de paz, no verde cinturão desta cidade

No meio da floresta, tropeiros atravessavam a verde mata para ligar a ainda pequena São Paulo ao resto do país. Entre árvores, rios e animais, o caminho era longo. Para sustentar os comerciantes, jarros de barro com água garantiam a travessia. Esses jarros, os cântaros, eram apoiados em cantareiras. E, depois de muito tempo, o crescimento – com seus prós e contras – deu origem ao nome que é sinônimo de Zona Norte: Serra da Cantareira.

Uma das poucas florestas urbanas do mundo, com seus resquícios de Mata Atlântica, a Serra faz parte do Cinturão Verde de São Paulo: uma região que preserva o restante da mata e tenta minimizar o impacto do homem sobre o meio ambiente. A Serra da Cantareira é apenas um pedacinho do Cinturão, que alcança 73 cidades.

Outro pedaço dentro desse pedaço é o Parque Estadual da Cantareira, que atrai turistas de todos os cantos em busca de contato com a natureza, trilhas, diversidade de animais, cachoeiras e esportes de aventura. Quatro núcleos fazem parte do parque: Pedra Grande, Engordador, Águas Claras e Cabuçu, com áreas compartilhadas com as cidades vizinhas Mairiporã, Guarulhos e Caieiras.

Desde 1989, o núcleo Pedra Grande está aberto ao público – foi o primeiro a ser inaugurado. O destaque são as trilhas: você pode ter disposição para encarar os 1,2 quilômetro da trilha das Figueiras ou os 9,5 quilômetros da trilha da Pedra Grande. O esforço vale a pena: o gran-finale do trajeto é uma visão incrível, inspiradora e impactante de toda a cidade.

Já o núcleo Engordador – nome que deriva de tempos antigos, quando o gado parava para ser “engordado” e, depois, seguir viagem – dá a oportunidade de o visitante passar pelos rios e cachoeiras que cortam o parque.

Em Águas Claras, o núcleo possui trilhas menores que as vistas na Pedra Grande, e é dedicado à educação ambiental. Por fim, o núcleo Cabuçu – mais recente a ser aberto, em 2008 – ocupa a maior parte do parque (cerca de um terço). Assim como os anteriores, o núcleo possui trilhas diversas. Uma delas é especial: relativamente longa, com 5,2 quilômetros e alguns trechos íngremes, a trilha da Cachoeira “deságua” em uma queda d’água. Uma recompensa revigorante.

Os núcleos possuem várias outras atrações que completam a experiência com a natureza, por meio de museus ou pontos históricos. Sua importância e preservação é fundamental para a saúde de uma selva de pedra, que necessita da verdadeira selva para viver.

Informações

Site: ambiente.sp.gov.br/parque-da-cantareira
Ingressos: R$ 13 (menores de 12 e maiores de 60 anos de idade, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, professores da rede pública e moradores do entorno não pagam). Meia-entrada: estudantes legalmente identificados
Horários de funcionamento: sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h. Consulte os Núcleos sobre os horários de funcionamento das bilheterias.

Núcleo Pedra Grande
Fone: 2203-3266 ou 2203-0115
E-mail: [email protected]
Endereço: Rua do Horto, 1799

Núcleo Águas Claras
Fone: 2203-3266 ou 2203-0115
E-mail: [email protected]
Endereço: Av. Senador José Ermírio de Moraes, s/no – Mairiporã/SP

Núcleo Engordador
Fone: 2995-3254
E-mail: [email protected]
Endereço: Av. Cel. Sezefredo Fagundes, (altura do no 19.100) – Jardim Cachoeira

Núcleo Cabuçu
Fone: 2406-8429 ou 2401-6217
E-mail: [email protected]
Endereço: Av. Pedro de Souza Lopes, 7903 – Jardim São Luís – Guarulhos/SP

 

 

 

Confira abaixo a página especial da versão impressa do SP Norte com opções para você curtir mais da Serra da Cantareira:



Topo