Paróquia de Santana recebe título de basílica menor no aniversário do bairro

0
150

No último domingo (26), o bairro de Santana completou 238 anos de existência. O bairro é uma das regiões mais importantes para a capital paulista, não só por conta de toda seu desenvolvimento econômico como por ser palco de importantes episódios.

Apesar de ser mais nova que o bairro, a igreja matriz da Paróquia Sant’Ana foi o motor para o desenvolvimento da região, tanto é que foi ao entorno dela que Santana foram criados comércios, restaurantes, centros comerciais, supermercados e muitas outras opções de comércio e serviços.

A paróquia celebrou seu aniversário no mesmo dia do bairro, 26 de julho, completando 125 anos. E foi neste dia que o Papa Francisco resolveu presentear Santana, concedendo o título honorífico de basílica menor para Paróquia de Santana.

No Brasil, há outras 65 basílicas menores, sendo 4 delas na cidade de São Paulo, segundo a Arquidiocese de São Paulo. A Igreja Católica possui dois títulos de basílicas: basílica maior e basílica menor. A Arquidiocese explica que, para receber esse título, são levado em contra três características, são elas:

  • Arquitetônica;
  • Histórica; e
  • Devoção popular.

Em todo o mundo há apenas quatro basílicas maiores, todas na cidade de Roma, na Itália. Já as basílicas menores são mais de 1,5 mil em todo mundo.

Foto ilistrativa da Avenida Cruzeiro do Sul

ANIVERSÁRIO DE SANTANA

Esse bairro tradicional, porém em constante desenvolvimento, Santana sobressai na Zona Norte por conta da qualidade de vida e sólida infraestrutura, características que transformaram o distrito nos últimos anos em um dos mais cobiçados por quem procura um lugar bem estruturado para morar. Mas como todo grande distrito, Santana também passou por diversas transformações no decorrer da história e, nesse caminho para o progresso, deixou algumas curiosidades que valem a pena relembrar:

Teve participação na Independencia de nosso país já que abrigou Solar dos Andradas, casa de José Bonifácio de Andrada e Silva – homem de confiança do Príncipe Regente Dom Pedro1;

Foi no solar que o Patriarca da Independência escreveu a carta do “Dia do Fico” pedindo a permanência de Dom Pedro I no Brasil. Hoje o local (Rua Alfredo Pujol 681) é ocupado pelo quartel do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo (CPOR/SP).

Conecção com a Cidade

Santana permaneceu durante muito tempo isolada do restante da capital em virtude de barreiras naturais, como o Rio Tietê e a Serra da Cantareira. O isolamento durou até o século XVII, quando foi construído um grande aterro, entre as proximidades do Convento da Luz até o bairro de Santana, o que possibilitou o acesso à cidade pela várzea inundável do Rio Tietê. O aterro é hoje o começo da Rua Voluntários da Pátria.

Em 1700 foi construída a ponte que passou a interligar o centro da capital ao bairro. Nessa época, os rios da vizinhança da cidade, inclusive o Tietê, tinham grande volume de água e a “Ponte Grande” veio abaixo em 1773, em decorrência de uma inundação, fazendo com que a travessia do Rio Tietê passasse a ser feita em canoa, até que ela fosse consertada.

A Casa de Detenção de São Paulo, popularmente conhecida como Carandiru, possui muitos episódios tristes. Inaugurada na década de 20, chegou a abrigar mais de 8 mil presos, sendo considerado na época, o maior presídio da América Latina. Foi desativado e parcialmente demolido em 2002 dando lugar ao Parque da Juventude.

Principal distrito, e um dos mais antigos da Zona Norte, pode ser considerado o centro da região em razão da variedade de serviços, lazer, transporte e gastronomia. Santana tem de tudo um pouco – ou muito, dependendo da opção. Entre os pontos relevantes está o farto comércio que ocupa as principais ruas e avenidas nos arredores do Metrô.

Os mais importantes eventos culturais, feiras e congressos de São Paulo são realizados na região. O Pavilhão de Exposições do Anhembi, o Sambódromo paulistano, o Expo Center Norte e alguns dos principais hotéis estão localizados em Santana.

Algumas avenidas servem como points que abrigam bares e restaurantes e atraem visitantes de outras regiões da cidade para usufruir das delícias da gastronomia brasileira.

Santana possui uma das maiores áreas verdes de São Paulo, representada pela floresta da Cantareira e o Aeroporto de maior movimento do mundo, o Campo de Marte. O bairro é servido pelas estações Santana e Carandiru do Metrô e por diversificada opção de transportes públicos que liga a região a outros distritos e ao centro da cidade.

Completa, por oferecer opções de comércios e serviços, atende não somente os moradores, mas também recebe centenas de consumidores de outras localidades, principalmente em datas comemorativas.

Ao mesmo tempo em que recebe novos empreendimentos comerciais e residenciais, Santana está cada vez mais desenvolvida e valorizada, sem perder a característica de um bairro tradicional e cheio de histórias, no coração da Zona Norte.