Tecnologia

Pesquisa revela os principais cibercrimes para 2019

O relatório “Mapeando o Futuro: lidando com ameaças difusas e persistentes” – da Trend Micro, especialista em cibersegurança – projeta as principais ameaças cibernéticas para este ano, com base no desenvolvimento das tecnologias emergentes, comportamento de usuários, tendências do mercado e seus impactos em cenários de ameaças.

Segundo o estudo, algumas tendências irão se agravar, como os casos de sextorsão e de phising que aumentarão consideravelmente. Os casos de sextorsão são aqueles em que há a ameaça de divulgação de fotos íntimas, para obrigar a pessoa a realizar uma ação específica ou para vingança. O medo das consequências faz com que as vítimas tenham tendência a atender as demandas dos atacantes.

Além disso, buscando otimizar os ataques de phising, os cibercriminosos irão realizar tentativas não só por meio de e-mails, mas também via SMS e meios de mensagens – inclusive criando chatbots para conversar com a vítima para então enviar um link de phishing ou obter informações pessoais -, também irão, com o suporte da técnica de engenharia social, realizar novos tipos de ataques como SIM-jacking (sequestro de chip), no qual se passam por uma equipe de suporte técnico.

Segundo a pesquisa, os atacantes poderão aproveitar eventos esportivos ou políticos, como as Olimpíadas em Tokyo de 2020 e as eleições de diversos países, para realizar ataques clássicos. Além disso, buscando atingir um grande público, os cibercriminosos irão comprometer contas de influenciadores digitais com milhões de seguidores para realizar diversos ataques direcionados aos seguidores.

Outra preocupação deste ano são os idosos, que estão utilizando cada vez mais dispositivos de saúde conectados – tais como monitores de batimentos cardíacos ou outras tecnologias que alertam quando escorregam ou caem – e acabam se tornando vítimas fáceis de ataques a esses dispositivos inteligentes, uma vez que os atacantes podem acessar seus dados pessoais ou de informação médica confidencial.

Além do que, os usuários de todas as idades serão afetados por “voice attacks”, a partir de vulnerabilidades em dispositivos de reconhecimento de voz.

É neste cenário que muitas pessoas, empresas e organizações acabam com dados comprometidos, roubo de informações estratégicas, prejuízos financeiros e pessoais. Todo cuidado é pouco e a atenção deve ser redobrada para não cair nos cibercrimes que estão cada vez mais avançados.



Topo