Zona Norte

Prefeito visita obras de Contenção de enchentes no Córrego Tremembé

Debaixo de uma fina garoa, o prefeito Bruno Covas visitou as obras na bacia do Córrego Tremembé. A vistoria aconteceu hoje, sexta-feira (17/05) e contou com a presença do secretário de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), Vitor Aly, e do Alexandre Pires, subprefeito de Jaçanã / Tremembé.

Atualmente a gestão municipal está construindo dois reservatórios no Córrego Tremembé, sendo um na Rua Maria Amália Lopes de Azevedo, em frente ao Sonda Supermercados, e o outro dentro do Horto Florestal. Quando finalizados, os reservatórios terão a capacidade de armazenar 35 mil m³ de água, ajudando no controle de cheias.

As enchentes e o cheiro forte do Córrego são motivo de reclamação dos moradores da região há anos.

Em 2018 a gestão municipal finalizou a canalização do Córrego nos trechos entre as ruas Imbiras e Casuarinas e entres a Avenida Sezefredo Fagundes até a Rodolfo Cavinato, totalizando 700 metros canalizados.

Ao todo, estão previstos construções de seis reservatórios e a canalização de 3,5 Km do córrego. O inicio dos outros quatro reservatórios e a canalização de toda a extensão dependem da finalização do processo de desapropriação.

O valor do contrato é de R$ 111,4 milhões, sendo que R$ 72 milhões deste valor são verbas do governo federal. Ao todo já foram investidos R$ 15,7 milhões nas intervenções no córrego.

Questão ambiental

A obra no Córrego Tremembé é motivo de preocupação para os ambientalistas da região. O coordenador do CADES Jaçanã/Tremembé, Hélio Cláudio de Carvalho Moreira, diz que ” No início nosso conselho tinha uma visão contrária a obra por entender que a mesma estava a mudar o cenário geológico e natural da região”.

Todavia o conselho  entende que a obra pode beneficiar milhares de pessoas que sofrem com as enchentes, mas comenta que estão “atentos à obra na busca do equilíbrio entre a natureza e a obra necessária”.

A preocupação do CADES também está em relação a falta de prestação de contas das obras de compensação ambiental pela SIURB “É nisso dai que mora o perigo. No sentido de, terminou a obra e cadê a compensação ambiental? Quando vai ser feita? Quem vai fiscalizar?”.

Questionada pelo Jornal SP Norte, a SIURB responde que “o projeto para a compensação ambiental das obras do Córrego do Tremembé prevê o plantio de 5mil mudas e a entrega de 4mil mudas para o viveiro da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SMVA), ao final das obras dos 6 piscinões e da canalização de um trecho do córrego”.

Fotos: Lucas Abreu Antonio / Jornal SP Norte



Topo