São Paulo

Prefeitura divulga edital de concessão do Complexo Interlagos

Na quarta-feira (06/11) a Prefeitura de São Paulo apresentou o edital de concessão do Complexo Interlagos, que prevê as áreas do Autódromo José Carlos Pace e do Kartódromo Ayrton Senna, totalizando 900 mil m². A gestão municipal pretende arrecadar R$ 1 bilhão com a licitação.

Além de administrar o Complexo, o vencedor do edital será o responsável pela reforma, gestão, manutenção, operação e exploração das múltiplas possibilidades da área. A licitação ainda exige que o local tenha 80 dias por ano de uso exclusivo para atividades da Prefeitura.

De acordo com a Prefeitura, o município irá receber cerca de R$ 1 bilhão ao longo dos 35 anos de concessão, arrecadando por meio de pagamento de outorga, desoneração do orçamento municipal, investimentos e recolhimento de ISS aos cofres públicos.

Inaugurado em 12 de maio de 1940, o Complexo Interlagos já abrigou campeonatos e corridas internacionais, além de grandes shows e festivais.  Os interessados poderão consultar o edital no endereço eletrônico da Secretaria do Governo Municipal (SGM).

Fórmula 1

Em junho deste ano o presidente Jair Bolsonaro declarou seu interesse em transferir o GP Brasil de Fórmula 1 para o Rio de Janeiro. Na ocasião, Bolsonaro afirmou que as chances de mudar a competição automobilística são de “99%”.

No entanto, o governador Dória, de São Paulo, destacou que o estado do Rio não possui estrutura para receber o evento. Já Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, afirmou que o Estado está se preparando para sediar a competição de automobilismo com o futuro Autódromo do Rio, em Deodoro, zona oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com a Prefeitura, a iniciativa não interfere a realização da Fórmula 1. O evento ocorre no Brasil desde 1990 e arrecadou no ano passado R$ 334 milhões, mais que outras datas festivas como réveillon (R$ 180 milhões), o carnaval no Sambódromo (R$ 220 milhões) e a parada LGBT (R$ 288 milhões), de acordo com dados da gestão municipal.

Privatização na Zona Norte

Neste ano, a Prefeitura colocou o complexo do Anhembi a leilão no mês de agosto, mas por falta de lances, o leilão acabou fracassando. De acordo com a gestão municipal, o principal responsável pelo fracasso foi o valor alto do lance mínimo, estabelecido em R$ 1.45 bilhão pelo TCM (Tribunal de Contas do Município).

Outros pontos que a Prefeitura tem interesse em promover a concessão na zona norte são os terminais de ônibus Casa Verde e Vila Nova Cachoeirinha e o Mercadão do Tucuruvi. Além do futuro parque e Museu Campo de Marte, que a Prefeitura estuda incluir no pacote de privatização.

Foto: Complexo Interlagos/PMSP

 



Topo