Arte

Programação no SESC Santana revisita filmes de Nelson Pereira dos Santos

Nelson Pereira dos Santos é um dos mais consagrados cineastas brasileiros. Falecido em abril deste ano, o diretor ganha uma série de homenagens com filmes exibidos gratuitamente no SESC Santana (Av. Luiz Dumont Villares, 579), de 2 a 30 de outubro.

Além de receber vários prêmios e homenagens, o cineasta foi indicado quatro vezes para os prestigiados festivais de Cannes e Berlim. Essa importância também se estende para o cinema latino-americano, já que suas obras influenciaram (e influenciam) diversos autores pelo continente. É precursor do Cinema Novo, movimento brasileiro.

Sempre às terças-feiras, às 20h, a programação Em Memória de Nelson Pereira dos Santos vai exibir os filmes do cineasta. Depois, o especialista e roteirista Paulo Marcelo do Vale fará debates com o público sobre as obras. Durante as cinco terças-feiras, de outubro, um filme da extensa carreira do diretor.

Vidas Secas

2/10 – Vidas Secas (1963): o filme mostra a história do retirante Fabiano e sua cadela Baleia, em meio à injustiça social, fome, seca, miséria e desigualdade. É o único filme brasileiro presente na lista de produções fundamentais para uma cinemateca de acordo com o British Film Institute. Foi indicado à Palma de Ouro em Cannes.

9/10 – O Amuleto de Ogum (1974): morte, crime e religião movem o filme. Aqui, Gabriel é levado a um terreiro onde tem o corpo fechado, depois do assassinato do pai no interior baiano. Anos depois, chega ao Rio de Janeiro, onde passa a trabalhar para um bicheiro. Lá, envolve-se com a amante do contraventor e é jurado de morte. Sua proteção? O amuleto de Ogum.

16/10 – A Terceira Margem do Rio (1993, foto no topo da matéria): Sem explicar o abandono da família (e de tudo), um homem passa a viver isolado em uma canoa, no meio de um rio no centro do Brasil. Remando sem destino, não pisa em terra firme. Seu único contato é feito de maneira indireta: por meio do filho que deixa comida em baixo de uma pedra na beira do rio. Indicado ao principal prêmio do Festival de Berlim.

O Amuleto de Ogum

23/10 – El Justicero (1967): filme destruído pela ditadura, foi restaurado e ganhou nova vida. O longa mostra um playboy, morador da carioca Ipanema, filho de um general. Porém, apesar das circunstâncias, é um protetor dos fracos e oprimidos da Zona Sul do Rio.

30/10 – Jubiabá (1986): com Zezé Motta, Grande Otelo e Betty Faria no elenco, o filme mostra a história de amor entre o negro, amante e lutador Antônio Balduíno, e a filha de um rico comendador. Protegido por Jubiabá, feiticeiro, Balduíno vai enfrentar o preconceito racial para viver esse amor.



Topo