Teatro

Criações de jovens da periferia, no Projeto Espetáculo das Fábricas de Cultura

Com peças que falam de temas como desigualdade social, machismo, racismo, transfobia, intolerância religiosa e homofobia, o Projeto Espetáculo mostra as criações dos jovens das Fábricas. No projeto, os participantes de 12 a 21 anos vivenciam todas as etapas de montagem de um espetáculo.

Em 2017, a inspiração foi o mito de Arcádia, uma terra em que o amor seria possível de todas as maneiras. Na Zona Norte, vão rolar as peças Oniri Ubintu (Jaçanã), Os Escafandristas (Cachoeirinha) e Cidade de pedras, corpo em ruínas (Brasilândia). Veja a programação completa e endereços abaixo. De 15 a 26/11, em diversos horários. Grátis.

Oniri Ubuntu (Jaçanã, de 15 a 19/11)
Entrelaçando imagens de momentos históricos distintos, Oniri Ubuntu realiza uma montagem na qual ancestrais dos povos africanos estão vivos e falam de possibilidade e outros destinos aos seus descendentes brasileiros. Omama é uma pele de terra ao sul do Equador, habitada pelos Mundurobás. Em Omama, a terra, o ar, a água e o fogo são seres, têm coração e respiram. Os ancestrais desta terra também estão vivos e falam através das Oniris, as pedras da memória de Omama. Um submarino chega à pele de terra e diante dessa invasão os Mundurobás resistem.
Data e horário: 15/11 às 15h00; 16 e 17/11 às 15h30; 18/11 às 15h00; 19/11 às 16h00
Endereço: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Os Escafandristas (Vila Nova Cachoeirinha, em 17, 18, 24, 25 e 26/11)
A ação da peça se passa em 2057. Uma empresa está recrutando trabalhadores para cuidar do reconhecimento e restauro dos objetos encontrados nas ruínas de um prédio desativado há muito tempo. Aqueles que são escolhidos realizam a tarefa de explorar o lugar, e vão encontrando vestígios do passado. Em meio a esse processo de busca e restauro, descobrem muitas chaves de entendimento da história. Descobrem, também, um documentário feito por jovens há 40 anos, que é a chave de entendimento de toda aquela missão de busca.
Data e horário: 17, 18, 24, 25 e 26/11 às 19h00
Endereço: Rua Conselheiro Moreira de Barros, 3997

Cidade de pedras, corpo em ruínas (Brasilândia, 23 a 26/11)
O trabalho é uma narrativa alegórica que procura refletir sobre as diversas formas assumidas pela violência patriarcal no meio urbano. Violência imposta aos corpos dos trabalhadores, à natureza, principalmente, ao corpo feminino. Esta peça reflete o desejo de imaginar outras estruturas possíveis, recriando territórios não violados, onde possam ser ouvidas vozes das mulheres-Pauliceia que, embora sejam pedras fundamentais, são tantas vezes invisíveis nesta cidade.
Data e horário: 23 a 26/11 às 15h00 (sessão extra dia 25/11 às 20h)
Endereço: Avenida General Penha Brasil, 2508



Topo