Zona Norte

Protesto Tucuruvi: Vítima alega preconceito. Metrô nega

No dia 10 de abril, aconteceu um protesto dentro da estação de Metrô no  Tucuruvi em resposta à agressão de um funcionário ocorrida no último sábado (06/04), sobre um usuário do transporte.

A vítima Vitor Vinicius (20 anos), foi surpreendida por um dos seguranças do metrô com um mata leão enquanto pulava a catraca. Segundo relato da vitima, a situação teve inicio quando ele foi recarregar o bilhete, mas a máquina “engoliu” o dinheiro.

Acabou ligando para o 0800, quando foi orientado a passar para um dos agentes do Metrô, a fim de liberar a passagem para ele. Mas o funcionário recusou-se mesmo com a orientação do atendente. Como não conseguiria voltar para casa e que o agente do metrô não iria liberar a passagem, o jovem pulou a catraca, mas foi surpreendido pelos seguranças.

O passageiro Danilo pediu para que os seguranças o soltassem, afirmando que iria pagar passagem de Vitor. Como o jovem se manteve imobilizado pelos seguranças, outras pessoas se envolveram. A situação se estendeu por 30 minutos. Após o ocorrido, testemunhas e Vitor foram à delegacia da Barra Funda para fazer o Boletim de Ocorrência.

Para Gláucia, irmã da vítima, a ação teve motivações preconceituosas, pois o segurança falava “se você tem um iPhone de 2 mil reais você pode pegar um Uber” e “Você estava zanzando por aí faz tempo”, mostrando que eles estavam já observando o rapaz.

Por meio de uma nota, o Metrô de São Paulo informou que “Não há registro de caso de racismo na Estação Tucuruvi da Linha 1-Azul do Metrô”. Alegando que o passageiro, após ser orientado pelos funcionários, “tentou agredí-lo com socos e pontapés.”

Foto: Compartilhadas por WhatsApp



Topo