Carnaval 2018

Sambas de Rosas e Peruche se destacam; Tatuapé parte em busca do bi

O primeiro dia de desfiles do Carnaval de São Paulo foi marcado por diferenças. Sobretudo, a da escola que defende o título. Enquanto a Tatuapé, campeã de 2017, fez um desfile praticamente impecável, as outras agremiações não apresentaram a mesma regularidade que a azul e branca da Zona Leste.

Com um samba poderoso, na voz do intérprete Celsinho Mody, e uma bateria ousada, com diversas bossas durante todo o desfile, a Tatuapé mostrou a que veio. A estreia do carnavalesco Vagner Santos não poderia ter sido mais feliz: maranhense, criou o enredo que homenageou o Estado, com sua cultura, cores, reggae e história. Com isso, a Tatuapé definiu o parâmetro para o segundo dia de desfiles.

De fato, a Tatuapé foi o único destaque do dia. Você provavelmente lerá em grandes portais que, além da escola da Zona Leste, Rosas de Ouro e Mancha Verde também foram destaques, ou que estão no páreo. Porém, não estão considerando a Tom Maior, que encerrou os desfiles do 1º dia.

Com um bom samba, na potente voz do intérprete Bruno Ribas, a vermelha e amarela não fez feio, em meio a um Anhembi com arquibancadas já esvaziadas e a alvorada colorindo o céu da Zona Norte. Aliás, uma constante desta primeira noite: o Anhembi não ficou lotado, muito por culpa da distribuição das escolas nos dias de desfile.

Desfile da Tom Maior

A homenagem da Tom Maior a duas imperatrizes: Leopoldina, a histórica personagem brasileira, e a escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense, rendeu momentos de pura beleza. O destaque ficou por conta do último setor da agremiação: uma ala simulou a clássica comissão de frente da Imperatriz em 1997, quando homenageou Chiquinha Gonzaga.

Outra homenagem ficou por conta da Mancha Verde. O histórico grupo Fundo de Quintal foi cantado pela alviverde em um desfile que está entre os mais bonitos da escola. A comissão de frente, em meio pandeiros, cavacos, tantans e repiques, receberam as bênçãos dos orixás, reluzindo o Cacique de Ramos, bloco tradicional do Rio. À frente da bateria, Viviane Araujo reinou, de índia.

Mancha Verde

Zona Norte: sambas e baterias de Rosas e Peruche se destacam

Estreante no Grupo Especial, a Independente já causava expectativa antes do desfile: os carros na concentração davam mostras de que, mesmo novata, não viria para disputar na parte de baixo da tabela. O enredo sobre clássicos do terror – incluindo o icônico mestre brasuca Zé do Caixão – rendeu momentos de beleza, com carros bem acabados, ainda que pequenos.

Independente – Desfile Carnaval 2018

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

Porém, o problema com o carro que acompanhava a comissão de frente – uma das mais criativas do dia – pode causar problemas à tricolor. O elemento alegórico já apresentava problemas antes do início do desfile e, na pista, precisou ser rebocado por um guincho. Por conta do regulamento, a escola perderá 1,2 pontos.

Confira as fotos da estreia da G.R.C Escola de Samba Independente no Grupo Especial. Escola da Vila Guilherme "tocou o terror" no Anhembi com um enredo sobre clássicos, filmes e personagens do horror.

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

Segunda a entrar na pista, a Peruche mostra, mais uma vez, que espantou o sobe-e-desce que acompanhava a Filial do Samba até 2015, quando venceu o acesso. Com um desfile marcante, homenageando os 80 anos de Martinho da Vila, a escola mostrou de forma singular elementos recorrentes no carnaval. O abre-alas é um exemplo: a primeira metade evocou, em verde, nossa pátria, enquanto a segunda parte, marrom, nossa ligação com o continente africano e os batuques de um Dikamba do samba.

Peruche – Desfile Carnaval 2018

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

Na pista, o suingue da bateria Rolo Compressor deu sustentação a um dos mais belos sambas do ano. Uma escola de chão, uma comunidade que brinca o carnaval, talvez como nos velhos tempos. A sambista Leci Brandão participou da homenagem, em um carro alegórico. Mart’nália, filha de Martinho, brincou de carnaval na pista.

80 anos do Dikamba da Vila! Confira as fotos da homenagem da Unidos do Peruche a Martinho da Vila!

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

Fora da disputa por decisão da Liga das escolas de samba por conta de um incêndio que fez perder boa parte de suas fantasias, a Tucuruvi desfilou sem compromisso. O divertido enredo sobre os museus de todo o mundo rendeu paradonas que levantaram as arquibancadas. As fantasias, por óbvio simples, contaram o enredo de maneira satisfatória. As alegorias, porém, ficaram devendo.

Tucuruvi – Desfile Carnaval 2018

Confira a largada da Acadêmicos Do Tucuruvi!

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

O “Zaca” também presou uma homenagem a todas as escolas de samba, em sua última ala, com componentes ostentando pavilhões das agremiações que contribuíram para o processo de reconstrução da Tucuruvi. Na pista, a madrinha de bateria, a apresentadora Daniela Albuquerque, brilhou.

Uma Noite no Museu! Viaje por museus de todo o mundo com a Acadêmicos Do Tucuruvi. Confira as fotos!

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

A última escola da região a passar na avenida, a Rosas de Ouro teve em sua bateria e em seu samba seus maiores destaques. A canção, considerada por muitos o melhor samba do ano em São Paulo, rendeu uma emocionante homenagem a caminhoneiros de todo o Brasil. Quem deu a largada foi a dupla Maiara e Maraísa:

Rosas de Ouro – Desfile Carnaval 2018

A dupla Maiara e Maraísa deu a largada no desfile da Sociedade Rosas de Ouro! Confira o emocionante início da Roseira no Anhembi:

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

Somada a uma bateria que possui uma identidade cada vez mais marcante, Mestre Rafa não economizou e sustentou a escola ao londo de todo o desfile. Levantou poeira e botou o pé na estrada.

A Rosas, porém, não apresentou um carnaval de encher os olhos. Fantasias e alegorias simples, porém criativas. Por outro lado, uma comunidade de chão firme, com um samba emocionante cantado a plenos pulmões. No início do desfile, a dupla sertaneja Maiara e Maraísa deram a largada, e depois partiram para o último carro da escola. Ali, também, aquelas que trilharam o caminho sertanejo há muitas décadas: as Irmãs Galvão, histórica dupla de música caipira.

Pisa fundo! A Sociedade Rosas de Ouro levantou poeira com um enredo que homenageou caminhoneiros de todo o Brasil. Confira as imagens!

Posted by Jornal SP Norte on Saturday, February 10, 2018

Um primeiro dia em que ficou a impressão de que a atual campeã só preparou o terreno para o sábado, um dia em que estarão 34 títulos na pista.

fotos/videos: Bruno Viterbo

Sambas de Rosas e Peruche se destacam; Tatuapé parte em busca do bi


Topo