São Paulo mantém bom desempenho no mercado imobiliário

0
718

Quem hoje anda por São Paulo consegue observar a mudança do mercado imobiliário, isso porque a cidade vem se transformando em um canteiro de obras dada a quantidade de novos empreendimentos que estão sendo feitos em todas as regiões da capital paulista.

Isso é mostrado no levantamento da Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), no qual é revelado que em novembro de 2019 houve a comercialização de 4.974 unidades residenciais novas, ou seja, 43,5% maior do que o total comercializado em outubro de 2019 (3.467 unidades) e superior em 29,4% as vendas de novembro de 2018 (3.843 unidades).

Vale destacar que já no mês de outubro, a capital paulista havia conseguido um bom desempenho no mercado imobiliário, ou seja, é possível observar a retomada de crescimento de compras e vendas de imóveis, não só na cidade de São Paulo como em outras partes do país.

Segundo a sócia da Akamines Advogados e Negócios Imobiliários e especialista em Economia da Construção Civil, Daniele Akamine, “o mercado imobiliário depende de um tripé composto por taxa de juros baixas, confiança do consumidor e emprego em alta, além da segurança jurídica nas operações”.

Vale mencionar que os resultados de imóveis comercializados no mês de novembro atingiu um recorde, sendo considerado o melhor desempenho de toda a série histórica iniciada em 2004. Ao todo foram 4.974 unidades residenciais novas comercializadas e 8.131 unidades lançadas.

Se observarmos ao longo de 2019, o número de imóveis comercializados obteve o melhor desempenho desde 2005, é o que explica Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP: “Esse é o melhor resultado em 15 anos. Os 11 meses do ano passado superaram os recordes anteriores de 2007, quando foram vendidas 31.187 unidades, e de 2008, que registrou o lançamento de 31.812 imóveis”. Ao todo, o ano de 2019 comercializou 38.930 unidades novas e lançou 44.605 unidades.

Já para Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP, apesar das medidas apresentadas pelo atual governo, para o mercado imobiliário continuar em alta é preciso que aconteça uma reação mais robusta da economia, com ampla geração de emprego, redução da burocracia na análise e aprovação de projetos, segurança jurídica nos processos imobiliários e simplificação tributária a partir da aprovação das reformas Tributária e Administrativa.